Samba da UPP: Rogerinho Ratatuia fala do abuso do poder que acontece nas favelas

Do Complexo Da Maré Para O Mundo "Samba da Upp

– Um pedido de Paz nas favelas pacificadas de um jeito bem brasileiro

 

Há 16 anos atrás, Rogério Lima, mais conhecido como Rogerinho Ratatuia, trabalhava em uma consultoria e as sextas se reunia com seus amigos em um barzinho no Complexo da Maré, onde rolava um pagodinho e ele era o cantor sempre. Até que num sábado teve um evento no campo da Rubens Vaz, e ele teve a sorte de conhecer o compositor “Barbeirinho do Jacarezinho” que gostou de vê-lo cantar e sugeriu que Rogerinho investisse nessa carreira e que iria presenteá-ló com um samba, o rapaz aceitou o desafio e a partir dai começou a cantar em diversos bares do parque Rubens Vaz no Complexo da Maré.

Depois de 10 anos na estrada, Ratatuia gravou seu primeiro Cd “Por todos os cantos” um ano depois, em 2009, escreveu seu primeiro samba “Blizt da lei seca” que tocou em 9 estados e ajudou a fazer shows em: SP, BH, RS, SC, DF, MT, GO além do Rio.

– Na minha caminhada eu estou tendo a honra de dividir o palco com muitos ícones, bambas que eu sempre admirei mas, minha grande referência musical sempre foi e será o grande Mestre Zeca Pagodinho. Sou fã desde que aprendi a amar o samba — disse Rogerinho.

Hoje, Rogério Lima tem 41 anos e mora no bairro do Grajaú zona norte do Rio de Janeiro. Nessa caminhada de 16 anos, ele já teve o privilegio de cantar musicas da autoria de grandes nomes como: Xande de Pilares, Trio Calafrio, Pedrinho da Flor, Zé Roberto, Gilson Bernini, entre outros.

Há 6 dias ele lançou o seu mais novo sucesso “Samba da UPP”, que segundo ele surgiu num bate papo em um bar onde estava bebendo uma cervejinha com alguns amigos e de repente chegou o parceiro dele Josuel Pagão e o apresentou a ideia desse samba e imediatamente ele começou a trabalhar na letra e gravou um clipe no alto do Morro do Andaraí que já tem quase mil visualizações.

– Eu espero e desejo de coração que este samba ajude na conscientização de algumas autoridades e que o cidadão de bem tenha o seu direito de ir e vir preservado, que as abordagens sejam feitas de maneira educada, sem truculência ou abuso de poder, só assim a “pacificação” tão prometida chegará e os moradores das comunidades poderão viver em paz — encerrou Rogerinho Ratatuia.

Ainda não assistiu o clipe Samba da UPP? aqui está o link para você ficar com a letra na ponta da língua:

Contatos para shows:
[email protected]

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]