Seleção feminina empolga na estreia da Copa do Mundo 2019

Seleção chegou ao estádio cantando música contra o preconceito enfrentado pelas mulheres no futebol
cbf3

Fotos: CBF

A estreia da seleção brasileira de futebol feminino lotou o estádio dos Alpes, na França e no seu primeiro jogo, a nossa seleção não fez feio e venceu as  jamaicanas por 3X0. O destaque do time foi a atacante Cristiane, a qual nos primeiros 15 minutos de jogo marcou o primeiro gol. Foi um jogão repleto de emoções, teve pênalti perdido, chances reais de gol da jamaica e várias chances para um quarto gol brasileiro.

A torcida brasileira pode ficar orgulhosa do time. Mesmo sem o maior nome do futebol brasileiro em campo, Marta, que se recupera de uma contusão, as meninas deram um show. O pênalti perdido por Andressa, camisa 7, não fez falta no placar folgado imposto nas jamaicanas. A camisa 11, Cristiane, fez todos os três gols da partida, sendo o primeiro com uma cabeçada firme, o segundo por estar bem colocada na pequena área e o terceiro foi resultado de uma boa cobrança de falta.

Apesar da vitória brasileira (3X0), a seleção não é a favorita para ganhar o título. As Estadunidenses são as atuais campeãs e vem com tudo para tentar conquistar o tetra. Já as francesas tem o melhor campeonato nacional e estão em casa.

Essa é apenas a oitava edição do mundial, mas a expectativa da FIFA é que seja a de maior repercussão já que, mesmo antes do início do torneio, os ingressos para o primeiro e último jogo já haviam se esgotado. Além disso, a previsão é que mais de 1 bilhão de telespectadores assistam aos jogos ao redor do mundo.

Uma vitória não só da seleção, mas das mulheres

A visibilidade do futebol feminino abre portas para meninas que sonham se tornar atletas desse esporte. Somente em 1983 o esporte se tornou oficial para o governo brasileiro, na medida em que a prática dessa modalidade por mulheres tenha sido proibida no Brasil, em 1941 e essa lei só tenha sido revogada em 1979. Dessa forma, cada jogo é uma exibição de representatividade feminina.

Por isso, as jogadoras desceram do ônibus cantando a música Jogadeira, composta pelas também jogadoras Cacau e Gabi Kivitz, do Corinthians. A letra da música fala do preconceito enfrentado pelas mulheres que jogam futebol no Brasil. E ao ser entrevistada por um canal de TV, a autora dos três gols do jogo cantou o trecho: “qual é? qual é? Futebol não é para mulher. Eu vou mostrar para você mané, joga a bola no meu pé.”

A comunidade já pode organizar o churrasco para o próximo jogo da seleção, já que dia 13/06, quinta-feira, 13h as canarinhas entram mais uma vez em campo. As atletas estão em primeiro no Grupo C, com três pontos, e um gol a mais que o segunda colocada. Enquanto, a Itália, também com três pontos ganhou por 2X0 da Austrália, seleção que enfrentará o Brasil na quinta.  

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]