Tonzão, ex-havaiano lança CD evangélico “No passinho do abençoado”

“No passinho do Abençoado” – Tonzão e os Adudianos: Tudo começou com uma brincadeira

Uma brincadeira criativa e de repente surgiu um CD. Ewerton Luiz da Silva Chagas, o “Tonzão”, estava dentro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD) conversando com uns amigos e começou a cantarolar umas frases e a dançar. Tudo estava sendo monitorado pelas câmeras do local. Surgia ali a canção: “No Passinho do Abençoado”.

Como a igreja realiza um trabalho de evangelismo junto às comunidades, a produtora executiva da ADUD RECORD,  resolveu investir no projeto e levar a este público um produto de qualidade, no estilo musical que eles gostam e com a mensagem da Palavra de Deus.

O trabalho conta com participações especiais de Nívea Silva, Elaine Martins e Waguinho e também de Mc Buchecha, Mc Marcio do Cacuia e Os Hawaianos. Funk e rap compõem o CD que embala com canções dançantes e apresenta também algumas regravações de canções evangélicas já conhecidas.

” Eu só quero adorar a Deus e evangelizar, tem muita gente que precisa de salvação” Afirmou Tonzão.

HISTÓRIA

Nascido e criado na comunidade da Cidade de Deus (CDD), bairro desmembrado de  Jacarepaguá oriundo de um conjunto habitacional situado na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro,Tonzão é o primeiro de nove  irmãos.

Sua vida não foi fácil. Aos sete anos começo a trabalhar como catador de latinhas para ajudar sua família. De origem humilde ele também trabalhou em feiras livres, lanchonetes e como boleiro em quadras de tênis. Desde oito anos canta e dança funk. Um dia foi descoberto na comunidade e convidado a participar como ator dos filmes: “Cidade dos Homens” e “A Lei e o Crime”.

Aos 08 anos se tornou dançarino profissional e por oito anos passou por diversos grupos conhecidos no mundo secular.  Só com “Os Hawaianos” vendeu 300 mil cópias de DVD e ganhou muito dinheiro passando a viver uma vida bem diferente da sofrida infância.

MUDANÇA DE VIDA

“O que fazer para ser feliz, pastor? Eu tenho tudo e não tenho nada.” A resposta dada pelo Pr. Marcos Pereira, da ADUD, a esta pergunta mudou a vida de Tonzão: “Renuncie o mundo e sirva a Deus”.

Nesta época ele era integrante do grupo “Os Hawaianos”. Quando um dia, pra sua surpresa, recebeu em um baile funk o renomado Pr. Marcos Pereira e toda Equipe ADUD, que chegaram para evangelizar e tonaram do baile um culto de evangelização. A partir dai, Tonzão, perdeu a “paz com o mundo”, ja começou a sentir a forte necessidade de seguir o conselho do Pastor, ” Renunciar o mundo e servir a Deus”. Foi ai que começou a frequentar os cultos na sede  Igreja Evangélica Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD) e depois a acompanhar o amigo Waguinho (ex-pagodeiro do grupo “Os Morenos”) nos evangelismos que a ADUD faz nas comunidades e ouvir a pregação da Palavra de Deus.  Por algum tempo ele ainda resistiu, mas após viajar para São Paulo e participar de muitas baladas começou a passar muito mal e foi hospitalizado. Mesmo fazendo diversos exames, os médicos não descobriam o que ele tinha. O medo de morrer era constante. Decidiu ligar para o Pr. Marcos Pereira que junto com Waguinho e o Ev.Filipe (filho do Pr. Marcos Pereira,  fizeram uma oração e profetizaram que na segunda-feira ele daria testemunho.

“Isso aconteceu numa quinta-feira, e eu disse que se ficasse curado nem iria esperar a segunda-feira chegar. Na mesma hora melhorei e desde novembro de 2011 comecei a caminhar com Jesus”, conta Tonzão.

Hoje Tonzão leva a palavra de Deus por onde passa, a ADUD  com certeza mais uma vez fez um trabalho de evangelismo belíssimo e acreditou nesse jovem que é a nova geração do funk gospel, usado para atrair multidões e levar Jesus a todos os povos.

Escrito por Polyanna S. Dias
Por Agência H3

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]