Um caminho inteiro sem luz no Morro do Adeus

Foto: Renato Moura - Jornal Voz da comunidade
Foto: Renato Moura - Jornal Voz da comunidade
Foto: Renato Moura – Jornal Voz da comunidade

Uma reforma na rede elétrica feita pela light, no morro do Adeus, Complexo do Alemão, deixou um caminho de escadaria, conhecido como barreira, inteiro sem luz. Moradores da comunidade reclamam do perigo para descer e subir durante à noite.  

Michele da Silva, moradora da localidade afetada, diz que está mudança na rede foi para reduzir o número de furto de energia, implantando uma nova forma de sistema de cobrança na conta de luz, um relógio de chip. A fatura chega mensalmente, porém iluminação no caminho não há.

Moradores relataram que no início do havia iluminação, assim que as lâmpadas queimaram não houve nenhum tipo de manutenção. Muitos deles já ligaram para light e entraram em contato com associação de moradores para reclamar da escuridão, mas não tiveram resposta.  O que os deixam mais revoltados é que as contas chegam e não tem um serviço de qualidade.

Francisco da Silva, de 64 anos, que tinha o hábito de sentar enfrente ao seu portão no final de tarde e apreciar a noite, não faz mais porque é um risco ficar sentado na escuridão. Ele diz ter ouvido muita gente reclamar de acidentes durante à noite na escadaria.

Em nota, “A Rioluz, empresa municipal de iluminação, informa que vai realizar uma vistoria conjunta com a Light no local para solucionar o problema”.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]