Um grito de socorro Manauara

ponte-Manaus

Como toda grade cidade brasileira, Manaus também tem suas comunidades grandes e distantes dos centros turísticos. Longe dos olhos da sociedade que se julga desenvolvida, Manaus tem seu maior crescimento populacional, nas Zonas Norte e Leste.

As comunidades que enfrentam problemas com o transporte público, falta d’água, e segurança estão na zona mais distante de todas, a zona Leste. Conhecida pelo trafico de drogas e pela falta de segurança, esta zona ainda espera viver dias melhores.

Apesar de Manaus esta localizada ao lado do maior rio de água doce do mundo, ainda enfrentamos problemas com a falta de água, nas maiorias das residências e comércios a falta d’água é o principal fator que dificulta o desenvolvimento local.

Grandes benefícios ganhamos nestes últimos anos, o aumento da frota de coletivos, já está ajudando boa parte da população, que antes chegavam a esperar até 1h30min, nas paradas que ainda estão abandonadas pelo poder público.

Ajudando o desenvolvimento nestas zonas, Manaus estaria desenvolvida por completa. Por que pontos lindos estão espalhados em toda cidade, assim como as comunidades, que apesar da falta de apoio, cresce e se desenvolve com toda dignidade possível, apesar dos problemas e falta de ajuda do poder público.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]