Vão até amanhã as inscrições para o curso “A MÃE TÁ ON!” destinado às mães de favela

O projeto tem como finalidade dar formação profissional em Mídias Sociais para mulheres moradoras de favela e bairros afastados do centro
Mulher negra

Foto: Reprodução

A Agência Narra abriu inscrições para um curso de Mídias Sociais gratuito. O curso “A MÃE TÁ ON!” é destinado para jovens mães negras e moradoras de favelas ou bairros do subúrbio do Rio de Janeiro. 

A iniciativa do curso visa ir ao encontro de mães periféricas. O intuito, com isso, é o de dar oportunidade de formação profissional qualificada, entendendo a realidade das mães que, muitas das vezes, são postas de lado pelo mercado por conta da maternidade.

Serão 18 encontros, onde as participantes vão aprender ferramentas e técnicas de mídias sociais, fotografia e design. O objetivo é colaborar com empreendedoras que querem fortalecer sua marca nas redes sociais e incentivar as mães que desejam retornar ou ingressar no mercado de trabalho. 

Foto: Reprodução

“Como mãe, sei como é difícil, principalmente para as mães com filhos pequenos, que ainda não têm o apoio da escola, por exemplo. As empresas geralmente dão preferência a pessoas que não têm filhos. Nossa proposta é ajudá-las a conciliar a rotina com uma fonte de renda”, explica a produtora cultural Priscilla Souza.

Os encontros serão online duas vezes por semana. As 20 alunas vão receber um pacote de internet para participar das atividades. Para se inscrever, basta preencher o formulário disponível neste link. Aquelas que tiverem dúvidas podem procurar a organização do curso através do Instagram. As inscrições vão somente até esta quarta-feira (10).

A Agência Narra é uma agência escola de produção de conteúdo formada exclusivamente por jovens de favelas e periferias. O curso “A MÃE TÁ ON!” é realizado com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura por meio de edital da Lei Aldir Blanc.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]