Vigilância Sanitária amplia fiscalização e ambulantes devem seguir as orientações

(Crédito: VozAL)
(Crédito: VozAL)
(Crédito: VozAL)
(Crédito: VozAL)

Daniel Paulino
Voz das Comunidades Alagoas 

A Vigilância Sanitária de Maceió (VISA) alerta aos foliões que estão aproveitando as prévias de Carnaval que tomem cuidado ao consumir alimentos e bebidas, principalmente os comercializados pelos vendedores ambulantes que se encontram na orla de Maceió e em outros pontos espalhados pela capital alagoana.

Com intenção de garantir a saúde dos consumidores, a Vigilância Sanitária de Maceió reforçou a escala de fiscalização, mantendo equipes de fiscais durante todo o final de semana nos principais pontos de Maceió, onde se concentram o maior número de ambulantes como a orla marítima de Maceió.

De acordo com os fiscais, durante as inspeções são observados as condições higiênico-sanitárias dos alimentos, refrigeração, manipulação e o armazenamento. Os fiscais afirmaram ainda, que uma outra preocupação é em relação à venda de bebidas preparadas pelo próprio comerciante como a famosa ‘caipirosca’.

‘‘Orientamos aos ambulantes a acondicionar alimentos e bebidas em um isopor limpo, pois caso contrário o material pode ser apreendido pelas equipes da Vigilância Sanitária.” afirmou Cláudio Melo, fiscal da VSM.

Além disso, o fiscal orientou ainda que é proibido a venda ou o consumo de bebidas de forma caseira, sem rotulagem e exposta à venda pois é considerada clandestina.  ”Uma bebida sem rótulo e sem as devidas descrições não é uma bebida legal então esse material estará sujeito a apreensões”, finalizou.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]