Violência em Maceió é destaque em rede nacional

Da Redação
Com Profissão Repórter

Maceió, considerada a capital mais violenta do país e a 5ª cidade mais violenta do mundo, volta a ser destaque em rede nacional. A cidade apareceu em um episodio do programa Profissão Repórter, da Rede Globo, exibido na noite dessa terça-feira (9), e mostrou um fim de semana tomado pela violência.

Em um único fim de semana, foram registrados 30 assassinatos. O crime é tão comum, que adultos e crianças parecem acostumados com a violência. O primeiro caso registrado pela equipe foi o de um policial morto em uma tentativa de assalto, no bairro do Tabuleiro dos Martins. Não demorou muito, e ainda durante a gravação, a polícia já havia sido avisada sobre outro assassinato.

Em uma noite, a equipe registrou vários homicídios. Em um deles, uma das vítimas era a dona de um bar que serve bebidas e marmitas. O freguês saiu sem pagar e o dono do estabelecimento reclamou. Pouco tempo depois ele voltou e matou o homem com várias facadas. “Infelizmente aqui no nosso estado, o crime está banalizado mesmo. Choca a gente, como cidadão, porque esses crimes não têm uma motivação. Ele tirou a vida do outro e foi para casa assistir televisão”, diz Rodrigo Sarmento, delegado.

No dia seguinte a uma tentativa de assassinato, um grupo de meninos usa os chinelos da vítima, que ficaram no chão, como traves de gol. Sobre o sangue que ficou na calçada, uma das crianças diz “todo final de semana alguém morre aqui, é comum já”.

De acordo com o programa, ano passado, 50.806 pessoas foram vítimas de homicídio no Brasil. Somadas as mortes em assaltos, lesões corporais, casos de policiais assassinados e ações da polícia, o número real de brasileiros mortos é de 56.348.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]