A volta da bolsa polêmica: #pochete!

FB_IMG_1539149810859

Din, din, din pochete tá na moda sim!!!
Ta com vergonha, tá com vergonha? Bota na cintura e assume!!! 😉

Você sabia que a pochete existe há anos? Pois bem, até  tomei um susto quando soube a idade dessa senhora que voltou a ser o xodozinho dos anos de 2016 para cá.

Famosíssima nos anos 80 e 90, a pochete (assim como muitos acessórios desse mesmo período) perdeu a realeza e passou a ser símbolo brega! Para muitos, a bolsa não é das mais bonitas,  mas não há como negar a praticidade desse acessório que só não é tão antigo quanto o Brasil.

Sempre muito presente na história da moda, a pochete apareceu de diferentes formas no decorrer dos anos. No século XI bolsas retangulares eram presas aos cintos e usadas por homens e mulheres  como hoje em dia. Mas foi no século XII que a pochete, ainda chamada de pockets, tornou-se um acessório de moda e começou a ser mais elaborada e enfeitada.

No século XVIII esse item ganhou um uma atualizada e foi rebatizada de chatelaines (nome francês). A nova versão tinha correntes de prata e era usada para carregar objetos práticos e de valor. O acessório agora ganhou status e valor fashion.

Na década de 80 e 90 que a pochete reinou!  Admita, não precisa ter vergonha, provável que você tinha uma!! Até que  tornou-se um crime usá-la e ela foi considerada um acessório mais cafona do mundo. Diferente de uma roupa que apenas sai de moda e vai para o fundo do armário.

Mas como o mundo dá voltas e a moda dá  voltas maiores ainda! Ela voltou e mais adaptada ao novo tempo.

E quem colocou fogo na pochete no final dos anos 90 começou a se arrepender. Em 2016 as pochetes começaram a dominar todos os estilos e ocasiões.  Nos bailes funks e de charme, por exemplo, há um público exalando estilo, utilizando este acessório. O grande diferencial é a sua versatilidade. Tradicionalmente ela foi feita para ser usada na cintura, mas já viu como ela pode ficar legal cruzada? Dando um outro toque estilo no seu look! Não tem mais essa  usar só na cintura, pode colocá-las atravessadas no tronco ou de lado como uma bolsinha.

Não importa como você use, o importante é causar por aí com sua pochete.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]