MPRJ e Defensoria vão ao STF para que estado e município do Rio apresentem estudos que justifiquem a flexibilização