Operação que matou músico no Muquiço, em Guadalupe, não tinha autorização legal para ocorrer

Após um ano, reportagem da Agência pública revela hoje, que documentos sigilosos mostram que o Exercito não tinha autorização legal para fazer a operação, pois a intervenção militar no Rio

Após um ano, reportagem da Agência pública revela hoje, que documentos sigilosos mostram que o Exercito não tinha autorização legal para fazer a operação, pois a intervenção militar no Rio havia acabado há quatro meses. O músico Evaldo Rosa foi morto com 62 tiros e Luciano Macedo que tentou ajudar Evaldo, também foi fuzilado pelo Exército.