Pandemia compromete educação, amplia desigualdade de estudantes periféricos

A pandemia do novo coronavírus escancarou o cotidiano desigual vivido por boa parte dos brasileiros. A política de distanciamento e isolamento físico, principal método de contenção da doença, tem afetado drasticamente a renda

A pandemia do novo coronavírus escancarou o cotidiano desigual vivido por boa parte dos brasileiros. A política de distanciamento e isolamento físico, principal método de contenção da doença, tem afetado drasticamente a renda das famílias mais pobres. Para muitos, continuar trabalhando, mesmo diante dos riscos, é uma questão de sobrevivência. Os jovens dessas famílias, alunos da rede pública de ensino em sua maioria, também são afetados. O fechamento das escolas ameaça os sonhos para o futuro e amplia o abismo que separa os estudantes periféricos de uma vaga na universidade.