Prefeitura autorizou retorno na rede privada, mas decreto estadual determina suspensão. Divergência causa confusão e dúvidas em pais e professores