Trabalho social do Centro Comunitário Irmãos Kennedy faz a diferença

Atuando há 51 anos na Zona Oeste do Rio. Tradicional e fundamental espaço de resistência na Vila Kennedy tem sido importantíssimo durante a pandemia. A instituição tem realizado ações emergenciais

Atuando há 51 anos na Zona Oeste do Rio. Tradicional e fundamental espaço de resistência na Vila Kennedy tem sido importantíssimo durante a pandemia. A instituição tem realizado ações emergenciais para combater os problemas dos moradores, principalmente a falta de alimentos. Até agora seiscentas famílias têm sido assistidas por mês com cestas básicas, distribuição de ovos, kits de higiene e 11.400 quentinhas são distribuídas mensalmente.”Tudo nesse momento é um fator que dificulta, a falta de trabalho, já que a assistência governamental não alcança a toda população. As famílias numerosas convivendo em espaços mínimos e condições insalubres. É quase impossível conter a contaminação nesses meios. Faltam instruções, alimento, condições básicas de sobrevivência. Não conseguimos atender toda extensão da comunidade, mas estamos trabalhando para minimizar o problema”, comentou Jorge Melo, idealizador do projeto, morador da ‘VK’ e membro há 11 anos do Irmãos Kennedy.Além da alimentação, o Centro Comunitário aponta outro problema local: a educação básica. Faltam creches, segundo Melo. “A instituição por décadas atuou com creche e apoio escolar para as crianças da região, além de gerar emprego na própria comunidade. Após a reforma, tínhamos previsão de reativar a creche no primeiro semestre de 2020, com a chegada da pandemia tivemos que prorrogar a reabertura. Atualmente a quantidade de creches públicas na região não atendem a população”.O Centro Comunitário recebe doações através do contato: (21) 99606.3070 Jorge Melo

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]