Começa a primeira fase de vacinação contra a Covid-19 no Complexo do Alemão

Mais de 200 profissionais de saúde da Clínica da Família Zilda Arns, Caps e UPA do Alemão serão imunizados - Foto: Selma Souza
VACINAÇAO COVID ZILMA ARMS-0819

O dia 20 de janeiro de 2021 vai ficar marcado na vida de muitos profissionais de saúde. Nesta quarta-feira os funcionários da Clínica da Família Zilda Arns, Centro de Atenção Psicossocial (Caps) e Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Complexo do Alemão receberam a primeira dose da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 fabricada pela biofarmacêutica chinesa Sinovac e o Instituto Butantã.

Por volta das 9h30 começou a imunização na unidade. A primeira a receber a vacina foi Cleide Oliveira, 47 anos, agente de saúde da Clínica da Família Zilda Arns e moradora das Casinhas, no Alemão. Cleide tem dois filhos e perdeu a mãe para a Covid-19. Funcionária antiga da clínica, ela afirma que o ato de tomar a vacina também foi um incentivo. “Que tudo dê certo a partir de agora, que depois da vacina venha o tempo de nos abraçarmos e vivermos com a nossa família. Tudo isso é o que eu preciso, o que nós precisamos”, diz Cleide Oliveira.

Cleide Oliveira – Foto: Selma Souza
Cleide Oliveira – Foto: Selma Souza

Ao todo, 270 funcionários da unidade serão imunizados. A primeira fase do plano de vacinação contempla os profissionais da área da saúde que atuam na linha de frente no combate ao coronavírus. 

Contudo, vale ressaltar que ainda não há previsão para a imunização em massa da população. Logo, é necessário continuar seguindo as medidas de prevenção contra a Covid-19, mantendo a higienização, usando máscara e evitando aglomerações.

Confira os registros da vacinação na Clínica da Família Zilda Arns:

Foto: Selma Souza
Foto: Selma Souza
Foto: Selma Souza
Foto: Selma Souza
Foto: Selma Souza
Foto: Selma Souza
Foto: Selma Souza
Foto: Selma Souza
Foto: Selma Souza
Foto: Selma Souza

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]