#COVID19NasFavelas: Associações de moradores do Alemão pedem kit prevenção

IMG-20200318-WA0139

Diante da pandemia de coronavírus no Brasil, e das medidas emergenciais da prefeitura do Rio e do governo do Estado, presidentes de associações de moradores do Complexo do Alemão chamam atenção para ações específicas para evitar contágio e transmissão nas favelas cariocas. Além da falta de água em algumas localidades, não apenas no Alemão como também na Rocinha, em Acari, na Cidade de Deus, a maioria dos moradores não tem condições de arcar com os custos para comprar álcool em gel. 

A distribuição gratuita de um kit de prevenção é a solução que sugerem ao prefeito Marcelo Crivella e ao governador Wilson Witzel. O kit deve ter álcool em gel, luvas e máscara para uso externo, além de sabonete, detergente, álcool líquido para uso em casa e ambientes de trabalho nas favelas. 

“Precisamos de um kit higiene urgente. A gente tem que se abraçar entre nós mesmos. Somos mais uns favelados esquecidos pelo governo, onde só somos lembrados em época de eleições. Um kit prevenção é muito importante e até agora nada! Vamos obedecer e ficar em quarentena, mas a prefeitura e o governo tinham que se manter presentes.” BURUCA, presidente da associação do Reservatório

“É uma obrigação deles mandar esse kit pra gente e até agora não fizeram nada e nem falaram nada. Não dá pra esperar o pior acontecer.” MARQUINHOS, presidente da associação da Nova Brasília

Colaboração: Beatriz Diniz / Foto: Bento Fábio / Coletivo Papo Reto

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]