Fiocruz avalia possibilidade de vacinação em massa de adolescentes da Maré

A ação seria a segunda realizada nas 16 comunidades do Complexo da Maré

Foto: Selma Souza / Voz das Comunidades

Após a primeira campanha de vacinação em massa no Complexo da Maré, onde cerca de 36 mil moradores receberam a primeira dose do imunizante contra o coronavírus, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) analisa a ampliação da iniciativa para adolescentes nas 16 favelas da comunidade, que possui 140 mil habitantes.

Nessa segunda etapa de vacinação na Maré, a Fiocruz avalia a imunização de 12,6 mil adolescentes que residem no território com a aplicação de doses de Oxford-AstraZeneca, produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz. Contudo, para que isso aconteça, aguarda ainda a autorização da Anvisa para aplicação. No Brasil, apenas a vacina da Pfizer está liberada para pessoas de 12 a 17 anos.

Nas próximas semanas, a fundação apresentará os primeiros dados da primeira etapa da #VacinaMaré, divulgando o percentual de pessoas com anticorpos contra o coronavírus. A pesquisa deve ser realizada novamente após três meses.

Segundo os dados atualizados do Painel de Covid-19 nas favelas do Rio de Janeiro, do Voz das Comunidades (atualizado com dados das Prefeitura do Rio de Janeiro, Governo do Estado do Rio de Janeiro e clínicas de saúde nas comunidades), o Complexo da Maré teve 6921 casos de coronavírus, com 329 óbitos.

A campanha da Fiocruz visa a vacinação dos adolescentes da Maré.
Foto: Selma Souza/Voz das Comunidades