Rocinha tem 75 casos ativos de Covid-19, segundo a prefeitura do Rio

É o maior número de casos ativos comparado a outras favelas do Rio
Foto: Laerte Breno
Foto: Laerte Breno

A Rocinha, na Zona Sul da cidade, apresenta o maior número de casos ativos de Covid-19, comparado a outras favelas do Rio. De acordo com a atualização do painel da prefeitura, são 75 casos ativos, ou seja, um total de 75 moradores da comunidade estão contaminados com o coronavírus.

Total de casos na Rocinha, segundo Painel Rio Covid-19

O número se destaca quando comparado com outras favelas registradas no Painel Rio Covid-19 da prefeitura do Rio. A Maré possui o segundo maior número, com 20 casos ativos. Há sete casos ativos em Manguinhos; seis em Vigário Geral; cinco no Jacaré; dois casos na Cidade de Deus e em Gardênia Azul. As comunidades da Mangueira, Acari e Jacarezinho apresentam um caso ativo em cada uma delas.

As duas comunidades que lideram o ranking de casos ativos também são as que contabilizam mais casos registrados de coronavírus, segundo o Painel Covid-19 nas Favelas do Voz das Comunidades. Na Maré, são 920 casos, 129 óbitos e 795 recuperados. Já na Rocinha, são 902 casos, 62 óbitos e 771 recuperados. 

Portanto, a partir dos dados pode-se observar que o coronavírus continua circulando. Mesmo com a flexibilização das medidas de isolamento social, é importante que moradores sigam tomando os cuidados necessários, pois ainda não há vacina disponível contra a Covid-19.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]