Candidato Almir Napoleão participa de sabatina do Voz das Comunidades

“Entendemos que eles (a prefeitura) têm condições de vir aqui não somente com mão de obra, construir prédio e dar meia dúzia de emprego. Mas de vir aqui e fazer uma região viva!”

Candidato Almir Napoleão participa de sabatina do Voz das Comunidades

Na manhã deste sábado (07), o Voz das Comunidades recebeu Almir Napoleão de 61 anos. O candidato foi o segundo entrevistado do dia. Almir é conhecido nas comunidades do Complexo do Alemão pelo trabalho realizado há mais de trinta anos como advogado imobiliário. 

O candidato concorre na sua terceira eleição pelo partido Democrata Cristão, é viúvo e pai de 2 filhos. Almir afirma que a vontade de entrar na política surgiu por conta da ausência de representatividade na câmara municipal, que se encontrava o Complexo do Alemão e adjacências. Segundo Almir Napoleão, ao concorrer pela primeira vez, no ano de 2008, quase ganhou a eleição e passou esses anos estudando e se organizando para disputar no pleito de 2020. 

Foto : Vilma Ribeiro/ Voz das Comunidades

Durante a sabatina, o candidato reforçou a importância de fortalecer a geração de empregos para os jovens da comunidade, como plano de aumentar a renda e fazer o dinheiro circular na região. Uma das sua proposta para isso é a diminuição de impostos do setor privado, que de acordo com ele, iria atrair mais empresas para a localidade da Leopoldina.

Através das redes sociais, o morador Roberto Fernandes perguntou sobre como o candidato geraria estes empregos para a juventude local:

“Entendemos que eles (a prefeitura) têm condições de vir aqui não somente com mão de obra, construir prédio e dar meia dúzia de emprego. Mas de vir aqui e fazer uma região viva! Onde o jovem e o empregador, sintam a necessidade de trabalhar, que o comércio seja vivo, assim gerando empregabilidade. O prefeito tem que pagar uma dívida com a região, uma dívida grande!”, comenta Almir Napoleão.

Se você apoia as ideias de Almir Napoleão, anote o número 27227. E não esqueça de ir votar de máscara e levar a sua caneta e o título até a sua zona eleitoral.

Assista a entrevista completa: