Olhar de crianças sobre o Santa Marta em mostra fotográfica

Entre março e abril deste ano, cerca de 30 crianças de 4 e 5 anos, moradoras do Morro Santa Marta, descobriram uma nova brincadeira: mostrar, através de fotografias, como vêem o local onde moram. O resultado poderá ser visto até 11 de maio na exposição A comunidade Santa Marta pelo olhar das crianças, na Unidade Anchieta de Atendimento à Pré-escola (UNAPE), na própria comunidade. A iniciativa faz parte do Projeto Criança Pequena em Foco, conduzido pela ONG Centro de Criação de Imagem Popular (CECIP) em parceria com a Fundação Bernard Van Leer e o apoio do Instituto Pereira Passos (IPP-Rio).
Antes de empunhar as câmeras, os pequenos fotógrafos passaram por oficinas de motivação em que eram estimulados a dizer do que gostavam e também o que não lhes agradava no Santa Marta. O processo continuou em

um passeio pelo morro, no qual, com equipamentos fornecidos pela ONG, meninos e meninas puderam soltar a criatividade. Registros da casa da vovó, aviões no céu, animais e pontos turísticos se misturam a fotos que mostram acessos perigosos e lixo, mostrando parte do cotidiano dos pequeninos na comunidade.

Manoella da Penha de Souza, de 5 anos, e Victor Araújo da Penha, de 4 anos, foram duas das crianças que participaram da atividade. Para a menina, fotografia era só brincadeira – nunca havia feito fotos de verdade. “Eu queria mostrar um galo que achei no mato, mas quando fui tirar a foto ele correu”, conta. Victor preferiu registrar um ambiente familiar. “Eu gostei de tirar foto da casa da minha avó”, diz. Ambos revelaram o desejo de se tornarem fotógrafos profissionais no futuro, ele para fazer mais registros da creche que freqüenta, e ela para fotografar animais.

Na inauguração da mostra, cada criança recebeu um CD com as fotos selecionadas, além de um DVD com o registro dos passeios pelo Santa Marta. Segundo a professora Vivian Hilário os maiores problemas abordados pelas crianças foram o lixo e o esgoto. “Isso apareceu em muitas das fotos que eles tiraram”, revela.

Claudius Ceccon, secretário executivo do CECIP, e coordenador da equipe à frente do projeto, destaca que a opinião de crianças sobre o meio em que vivem raramente é consultada. “As pessoas não se dão conta da importância de ouvir as crianças, um grupo que muitas vezes observa coisas que passam despercebidas aos adultos. O olhar deles é uma contribuição única, é desprovido de preconceito”, enfatiza.

A exposição é uma das atividades do projeto Criança Pequena em Foco, que pretende criar estratégias para incluir a participação das crianças na consrução de políticas públicas para áreas de UPPs. Segundo Ceccon, com o advento da pacificação as crianças podem ter uma imagem diferente da comunidade em que vivem. “As crianças estão nascendo em uma realidade nova. Elas têm, em tempo de vida, quase o mesmo tempo que a UPP está lá”, diz ele, referindo-se ao Santa Marta, onde a Unidade de Polícia Pacificadora foi implantada em 2008.

“Nosso projeto quer trazer o olhar da criança, que é um olhar competente, que muito tem a contribuir, para os tomadores de decisão. O objetivo é que as demandas das crianças sejam ouvidas, e que ajudem a estabelecer mais políticas públicas direcionadas elas”, explica a pesquisadora do CECIP, Marina Dantas.

Das mil fotos produzidas, cerca de 50 foram selecionadas e compõem a exposição.Em breve outras comunidades pacificadas devem receber o projeto. De acordo com Claudius Ceccon, a ideia é levar a iniciativa ao Chapéu Mangueira, ao Morro dos Macacos e à comunidade Nova Brasília, no Complexo do Alemão.

Via: http://www.uppsocial.org

Comentários Facebook

comentários

Autor

*

* Please arrange the below number in decreasing order

Top