Projeto Social no Alemão faz impressão grátis de material escolar para alunos da rede pública

Criado no Complexo do Alemão, o Projeto Social Em Ação faz impressões gratuitamente do material escolar de alunos da rede pública municipal para moradores da comunidade. Desde o início do

Projeto Social no Alemão faz impressão grátis de material escolar para alunos da rede pública

Criado no Complexo do Alemão, o Projeto Social Em Ação faz impressões gratuitamente do material escolar de alunos da rede pública municipal para moradores da comunidade. Desde o início do isolamento social, por conta do coronavírus, alunos da rede pública tiveram que se adaptar ao método das aulas de ensino a distância, entretanto, muitos moradores não possuem recursos eletrônicos para acompanhar a modalidade.

Tendo em vista essas necessidades, desde o início do mês de maio o grupo “Projeto Social Em Ação” auxilia famílias para que crianças e jovens não sejam prejudicados com o atual modelo de ensino adotado nos tempos de pandemia.

A ONG fundada no ano passado visa ajudar, dentro do possível, à comunidades mais carentes. No mês de Abril, o grupo realizou arrecadação de alimentos em troca de máscaras, destinadas a moradores do Morro do Mineiro, para se prevenirem contra  Covid-19.

“Muitos moradores que são alunos da rede municipal não tem acesso a internet ou até mesmo condições para arcar com os custos das impressões que são disponibilizadas no site da prefeitura. Fica inviável. Numa semana para um alunos da quinta série veio um material com 40 folhas, imagina uma mãe com 4 filhos, toda a semana tendo que pagar um valor. Tendo em vista essa necessidade da comunidade, começamos a fazer esse tipo de serviço”, contou Ivan Villela de 44 anos, um dos fundadores do projeto e dono da loja de estofados “Villelabancos”, no Bairro da Taquara zona oeste da cidade do Rio, onde reside.

Grupo já tem mais de 300 pessoas cadastradas para receberem as doações de material pedagógico, e busca condições e benfeitores para aumentar e também dar continuidade ao trabalho, principalmente de uma impressora toner que atende maiores demandas. São 300 pessoas cadastradas no projeto, contudo, milhares de outros moradores se encontram ainda sem assistência.

“É muito triste ver as crianças que são o futuro do nosso país, abandonadas pela prefeitura de não cumpre de fato o seu papel. É comovente também ver como muitos pais e mães mesmo sem ter recursos, buscam cuidar do futuro educacional dos seus filhos. Porque só vencemos a violência e as desigualdades sociais através do estudo”.

Além do Ivan, o grupo tem 7 integrantes, André, Claucio, Leandro,Nielsen, Washington e Renata, os seis moradores do Complexo do Alemão. A ausência de medidas mais sociais por parte dos governantes, acaba sendo preenchida pela empatia do morador para com o outro.