Primeira edição do #CINEBOB ocorreu nesta segunda-feira (18) no Complexo do Alemão

A iniciativa surgiu em um bate papo entre Raull Santigo e outros ativistas da comunidade

Primeira edição do #CINEBOB ocorreu nesta segunda-feira (18) no Complexo do Alemão

Nesta segunda-feira (18), aconteceu a primeira sessão do #CINEBOB na varanda da lanchonete Bob Lanches, na Alvorada, Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio.

A iniciativa surgiu em um bate-papo entre o ativista Raull Santigo e os empreendedores Ane Gabrielle e Felipe Souza, ambos donos da lanchonete Bob Lanches. O intuito do diálogo foi de reflexão sobre o que poderia ser feito para promover entretenimento e aproximar várias crianças da localidade da Alvorada, Complexo do Alemão.

A partir disso, então, surgiu a ideia do #CINEBOB. A primeira edição contou com cerca de 20 crianças. Houve estrutura mínima de distanciamento, distribuição máscaras e lanches (açaí, hambúrguer, refrigerantes e sucos).

“Recentemente abriu uma lanchonete aqui na Rua Nova da Alvorada, BOB LANCHES. Como naquela região quase não tem lanchonetes, facilmente virou um ponto de encontro da galera. Alguns de nós, envolvidos em projetos sociais, gostamos dos lanches e do ambiente, que tem uma espécie de “área aberta”, o que nos permitiria encontrar para reunir, sem ser em local fechado por conta da pandemia”, comentou Raull.

Raull Santiago foi homenageado pela Secretaria da Juventude por suas ações no combate à Covid-19
Foto: Reprodução

Sobre o #CINEBOB

A localidade, que não possui muitos espaços de lazer, principalmente para as crianças, fez com que o “CINEBOB” ganhasse ainda mais relevância para aqueles moradores.

Projeto teve participação de outras personalidades do Alemão, como Helcimar Lopes, Tiago Purificação, Nildo Abadias e Fabianny Atanasio.
Foto: Reprodução

Os comerciantes se organizaram com o próprio Bob lanches, que cedeu espaço e comidas. A Toca do Lobo Produções fez a produção do local, trazendo malhas para fazer a tela e as cadeiras. Além disso, o Coletivo Papo Reto contribuiu com o projetor e na mobilização das crianças. Teve apoio do Point do Itararé também.

O projeto almeja acontecer mensalmente. “Foi muito importante realizar essa ação. As crianças ficaram super empolgadas e nós muito emocionados. O audiovisual, o cinema é muito importante para construção do imaginário das pessoas. Precisamos fazer essas ações, mas também lembrar e pressionar o triste fato de termos um cinema dentro da favela, o Cinecarioca da Nova Brasília, que se encontra fechado”, complementou o ativista.