União Comunitária e Grupo Agir distribuem mais de 6 mil potes de sorvetes no Alemão

Moradores da Grota, Morro do Adeus, Nova Brasília e Fazendinha receberam potes de sorvete na manhã desta quarta-feira (22)

União Comunitária e Grupo Agir distribuem mais de 6 mil potes de sorvetes no Alemão

Na manhã desta quarta-feira (22), mais de 6 mil potes de sorvetes foram distribuídos em quatro associações de moradores do Complexo do Alemão, zona norte da cidade do Rio. Ação é fruto do trabalho social realizado pela União Comunitária em parceria com o Grupo Agir (Agência Integrada e Renovar), com patrocínio da Froneri Brasil. A iniciativa tem como objetivo levar um momento de alegria para os moradores de favelas do Rio em meio a tantos problemas causados pela pandemia da Covid-19.

Presidente Paulinho da Associação de moradores da Fazendinha
Foto: Matheus Guimarães

Desde o mês de junho a União Comunitária e o Grupo Agir distribui potes de sorvetes pelas favelas do Rio de Janeiro, e até o momento a ação já ocorreu em 110 comunidades. O Complexo do Alemão foi a última beneficiado pelo ato solidário. Nas comunidades da Grota, Adeus, Nova Brasília e Fazendinha, foram entregues mais de 1.500 unidades de sorvetes, na manhã desta quarta-feira (22).

A Grota foi a primeira comunidade a receber os potes de sorvetes, e o presidente Marquinhos Balão ressaltou a ação: “Queria agradecer a União Comunitária, Grupo agir e ao Voz das Comunidades, pelo momento de alegria. Os moradores ficaram em festa. Foi um momento importante para a comunidade”.

Marquinhos Balão é presidente da associação de moradores da Grota. Foto: Matheus Guimarães

Contratempo

No segundo ponto de distribuição, no Morro do Adeus, a ação chegou a ser interrompida por alguns minutos por PMs da UPP. Segundo um policial que abordou a equipe da União Comunitária e o Voz das Comunidades, um morador realizou uma denúncia anônima relacionada ao caminhão. O mal entendido atrasou um pouco o cronograma, mas as entregas continuaram em seguida.

Muitos moradores ou moradoras, chefes de família se encontram desempregados ou tiveram suas rendas comprometidas devido ao atual momento. Com isso, até mesmo um pote de sorvete se torna algo custoso de ser comprado, o sorvete acaba sendo também uma forma de lazer aquelas famílias.

André Fonseca, presidente do Grupo Agir, relatou como tem sido este trabalho social nos últimos meses. “Estamos felizes por proporcionar tanta alegria nas favelas do Rio. Essa marca de 110 comunidades é muito importante e emocionante, principalmente em poder proporcionar isso a estas famílias. Neste momento delicado de pandemia do novo coronavírus, precisamos ter um olhar diferente para com o próximo”.

A cabeleireira e moradora da Fazendinha, Sandra Regina Alves, de 44 anos, acompanhou o sobrinho na hora da entrega dos sorvetes. “É um momento de alegria né?! Não só para as nossas crianças mas também para a comunidade inteira. Agradeço não só o Voz mas as outras organizações que vem nos ajudando de alguma forma nesse momento”.

Sandra e seu sobrinho Victor Hugo de 4 anos agradeceram os movimentos sociais
Foto : Matheus Guimarães

União Comunitária

Renato Lopes e Reinaldo Reis são integrantes da União Comunitária e desde o início atuam nas entregas dos potes de sorvetes nas comunidades. A dupla ressalta o trabalho realizado, e reforça a união que as favelas precisam ter de se impor diante de tanto descaso praticada pelas autoridades.

A União Comunitária surgiu em 2014 no Santa Marta, zona sul da cidade e tem como o principal objetivo fortalecer as associações de moradores, levando conhecimento e a busca pela igualdade de direitos, contra um sistema que as oprime. Com isso, o projeto também busca melhorar a qualidade vida do morador junto ao poder público, atuando hoje em aproximadamente 30 comunidades.