Favelas do Rio têm diminuição de 10,02% de casos confirmados de Covid-19

Em meio a um mês de surto de casos da doença, último balanço semanal de janeiro mostra queda nos números
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Após 3 semanas de alta nos números relacionados à Covid-19 nas favelas do Rio, nesta semana o Painel Covid-19 nas Favelas registrou diminuição de casos confirmados, em comparação com a semana anterior. Depois de algumas semanas sem fornecimento dos dados completos, a Prefeitura do Rio voltou a disponibilizar os números das 40 favelas monitoradas pelo Voz das Comunidades.

Só neste mês de janeiro, o estado do Rio tem mais casos confirmados de Covid-19 do que todo o ano de 2020. A situação delicada no Estado e na cidade muito se explica pelo surgimento da nova variante, Ômicron, e também o relaxamento das medidas de distanciamento social. Contudo, nesta semana, pela primeira vez em 2022, o Painel apontou uma diminuição de 10,02%, o que representa 728 casos a menos. Em comparação com a semana passada, onde foram computados 7.263 casos e 4 óbitos em favelas. 

Das 40 comunidades cariocas monitoradas pelo Voz das Comunidades, o Complexo da Maré, na Zona Norte da cidade do Rio, segue à frente, quando comparada com outras comunidades, no que se refere ao ranking de dados registrados no Painel Covid-19 Nas FavelasSão ao todo 14.172 casos, 382 óbitos. Uma informação que tem chamado atenção nos dados de Covid na Maré é que, desde o dia 30 de outubro, a comunidade não registra nenhuma morte causada pelo novo coronavírus.

Imagem do gráfico do Painel do Voz das Comunidades mostrando o elevado número de casos no Complexo da Maré.
Imagem: Reprodução

Veja os casos de cada favela

Do dia 21/01/2022 até 28/01/2022, o painel registrou 6.535 casos confirmados no painel Covid-19 do Voz das Comunidades

6.535 casos confirmados:

6 casos no Morro do Salgueiro;

9 casos na Crácara do Céu;

19 casos na Ladeira dos Tabajaras;

19 casos no Morro dos Macacos;

26 casos no Santa Marta;

27 casos no Morro da Babilônia/Chapéu Mangueira;

27 casos no Tavares Bastos;

28 casos no Morro dos Cabritos;

29 casos na Bandeira 2;

31 casos no Morro da Providência;

31 casos no Morro do Tuiuti;

38 casos no São Carlos;

44 casos no Santo Amaro;

47 casos na Barreira do Vasco;

47 casos no Morro da Formiga;

59 casos no Fumacê;

63 casos no Mandela;

92 casos no Pavão-Pavãozinho e Cantagalo;

102 casos em Rio das Pedras;

107 casos em Acari;

110 casos no Morro do Borel;

114 casos na Gardênia Azul;

131 casos no Jacarezinho;

131 casos na Vila Vintém;

144 casos no Caju;

162 casos no Vidigal;

166 casos no Lins de Vasconcelos;

168 casos na Vila Aliança;

175 casos na Mangueira;

193 casos no Morro do Andaraí;

243 casos na Cidade de Deus;

259 casos em Manguinhos;

322 casos no Batan;

349 casos em Vigário Geral;

360 casos na Vila Kennedy;

391 casos na Rocinha;

409 casos no Complexo do Alemão;

881 casos no Complexo da Maré;

961 casos no Complexo da Penha.

1 novo óbito:

1 óbito em Vigário Geral.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]