Governo do Rio anuncia data para uso de câmeras em uniformes da PM

Equipamento foi testado durante as festas de réveillon e já está sendo usado por agentes da Operação Lei Seca
Câmeras portáteis tem autonomia de 12 horas e realiza gravação e transmissão de imagens para o Centro de Comando e Controle (Foto: Ascom GovRJ / Divulgação)
Câmeras portáteis tem autonomia de 12 horas e realiza gravação e transmissão de imagens para o Centro de Comando e Controle (Foto: Ascom GovRJ / Divulgação)

16 de maio. Essa é a data anunciada pelo governo para o uso de câmeras pelos batalhões da Polícia Militar do Rio de Janeiro. Espera-se que até 8 mil câmeras estejam em funcionamento até o final do primeiro semestre deste ano.

Em 2020, uma ação movida no STF exigia um plano de redução da letalidade policial nas comunidades do Rio de Janeiro. Entre as medidas, a instalação de câmeras nas fardas dos agentes já era um tópico abordado. Entretanto, a lei das câmeras nos uniformes da PM foi sancionada pelo governador Cláudio Castro somente em junho de 2021.

Em fevereiro de 2022, o STF determinou que o governo do Rio de Janeiro apresentasse um medidas para redução da letalidade policial em operações nas comunidades. Entre os tópicos abordados, o órgão exigia a instalação de câmeras nos uniformes dos policiais. Por sua vez, o governo estadual apresentou medidas, mas o plano apresentado pelo estado foi questionado por cientistas da segurança pública, já que os tópicos apresentados e publicados no Diário Oficial do Estado não atendiam às exigências determinadas pelo STF de forma integral. No final de abril, o governador Cláudio Castro respondeu ao supremo, alegando estar seguindo as normas determinadas.

A instalação das câmeras nos uniformes dos agentes será realizada de forma escalonada, ou seja, cada batalhão começará a usar o equipamento de forma gradual. Segundo o cronograma apresentado, a ordem será:

Até a segunda quinzena de maio:
1º CPA (Comando de Policiamento de Área)
2º BPM (Botafogo)
3º BPM (Méier)
4º BPM (São Cristóvão)
5º BPM (Praça da Harmonia)
6º BPM (Tijuca)
16º BPM (Olaria)
17º BPM (Ilha do Governador)
19º BPM (Copacabana)
22º BPM (Maré)
23º BPM (Leblon)

Até final de maio:
7º CPA (policiais que atuam na Região Serrana do estado)
11º BPM (Nova Friburgo)
26º BPM (Petrópolis)
30º BPM (Teresópolis)
38º BPM (Três Rios)

Final de maio à final de junho:
6º CPA (que atua nas regiões Norte e Noroeste do estado)
2º CPA (que atua em parte da Zona Norte e na Zona Oeste da capital)
4º CPA (responsável pelo leste fluminense)
3º CPA (responsável pela Baixada Fluminense)

A equipe do Voz das Comunidades entrou em contato com a assessoria da PM para saber quando que agentes das UPPs receberão câmeras em seus uniformes. Até o fechamento desta matéria, a PM não respondeu à redação.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]