Rapper de Manguinhos, Vitin lança sua primeira música solo chamada “Vitória”

A produção foi feita pelo coletivo Faixa de Gaza do Manguinhos, que usou a própria comunidade como cenário de gravação

Rapper de Manguinhos, Vitin lança sua primeira música solo chamada “Vitória”

Foto: Reprodução

Na última semana o rapper Vitin, morador da favela do Manguinhos, Zona Norte da cidade do Rio, fez sua estreia no cenário musical carioca com o lançamento do videoclipe “Vitória”. A música contou com a participação do rapper GEBE e teve como cenário a própria comunidade de Manguinhos.

Na produção, aborda-se questões da juventude negra e favelada que, mesmo em meio as várias adversidades da sociedade, vem conquistado cada vez mais espaços que historicamente foram negados. Vitória é composta por rimas no beat de Drill do D`Moraes, beatmaker do Faixa de Gaza e com Mixagem/Masterização de Palito Beats.

O rapper Victor Morais de Oliveira, ou como é conhecido na comunidade do Manguinhos, Vitin, de 25 anos, chega na música carioca com este lançamento. Cria do local, o cantor tem como objetivo representar e retribuir os ensinamentos que teve na favela. A proposta da música e do projeto é de valorizar o espaço periférico.

Em primeiro plano o mc GEBE (que é cria do Morro do Fallet), e o rapper Vitin logo atrás.
Foto: Reprodução

A relação dele com a música iniciou desde muito novo. Vitin começou a compor ainda na adolescência. Mas, em 2015, com o coletivo de rap Faixa de Gaza, fundado em Manguinhos também pelos próprios moradores, foi onde deu os seus primeiros passos.

Inspiração da música

“A inspiração da música foi a minha própria correria e de outros pretos e pretas que me cercam. O ano de 2020 foi um ano bastante pesado, onde vários de nós tivemos que ralar em dobro para manter vivo nossos sonhos e projetos. Queria abrir 2021 com uma música que fizesse essa juventude se orgulhar do caminho trilhado e dar a certeza de que esse ano seria de recompensa. De fato, uma música pra nos levantar, dar ânimo e autoestima para seguirmos”, contou o rapper sobre a escolha do nome Vitória para a música.

No fim do clipe, o cantor homenageia sua avó Judith, que faleceu ano passado por complicações da Covid-19. “Achamos que ela merecia essa homenagem e que também precisávamos da benção dela para iniciar esse novo ciclo”.

A música contou com integrantes do coletivo Labjaca, e outras potências negras das mais diversas áreas de atuação.
Foto: Reprodução.

Para o restante deste ano de 2021, o rapper pretende, junto com o Faixa de Gaza, criar uma imagem grande dentro do cenário do Rap, buscando consolidar a imagem como MC (principalmente como um representante da música preta brasileira). Além de um álbum solo, o músico projeta outros lançamentos em participações com outros/as Mc’s.

Ainda não ouviu Vitória? A música já está disponível em todas as plataformas digitais, e o videoclipe completo no YouTube.