Boletim da Fiocruz apresenta especial sobre vacina para as favelas

A edição traz informativos e debates de assuntos que estão acontecendo nas favelas durante esse período de pandemia

Boletim da Fiocruz apresenta especial sobre vacina para as favelas

Foto: Selma Souza / Voz das Comunidades

Foi lançado na quarta-feira passada (03) a sétima edição do Radar Covid-19 Favela. Nessa, traz um assunto muito especial sobre “Vacina para as favelas e periferias” com textos a respeito do direito à vacinação.

O Radar Covid-19 Favela usa como base de coleta dos relatos as mídias sociais de coletivos de favelas cariocas. O contato direto com moradores, lideranças e movimentos sociais, busca sistematizar, analisar e disseminar informações sobre a situação de saúde nos territórios em foco, em cada edição.

Coletivos e instituições no Painel Unificador Covid-19 Favelas, por exemplo, reuniram-se para o lançamento da campanha “Vacina para a favela, já!”, com o objetivo de garantir acesso prioritário à vacina nas favelas. Além disso, tem pauta dos alunos que estão retomando as suas atividades escolares e outros assuntos que estão acontecendo nesse período de pandemia.

O informativo também traz notícias sobre o que está acontecendo na UPA de Manguinhos, que permanece fechada. Debates também importantes, como: território impactado pelo distrito industrial deve ser priorizado na vacinação e como apresentam as demandas de moradores dos territórios mais afetados pelas consequências do novo coronavírus, trazendo o contexto histórico de falta de políticas públicas em habitação; problemas relacionados ao saneamento; fornecimento de água e elevado número de pessoas por habitação. Esses assuntos estão por trás das articulações mais amplas (realizadas para defender o direito à vacinação da população mais vulnerabilizada social e ambientalmente).

Tem o texto da Redes da Maré falando sobre ADPF das favelas: um caminho possível para a democratização do debate sobre segurança pública. Além desse, há o do Anderson Oli sobre a ponte do Rio de Janeiro e Amazonas e a importância de uma organização popular unificada na pandemia.

Se você quiser ver essa e outras edições, basta clicar aqui e ficar cada vez mais informado sobre esse período de pandemia nos territórios periféricos.