PM afasta policiais envolvidos na morte de Ruan na Barreira do Vasco

Jovem tinha 27 anos e foi assasinado no dia 6 de maio quando ia ao barbeiro; nesta terça-feira (17) família foi chamada para depoimento
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A Polícia Militar do Rio de Janeiro afastou os agentes policiais envolvidos na morte de Ruan Nascimento, de 27 anos, na Barreira do Vasco, Zona Norte do Rio. A decisão foi tomada depois de a 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar abrir procedimento apuratório contra os agentes.

Caso

Ele estava parado em frente a um salão aguardando a sua vez para cortar o cabelo quando um policial à paisana, segundo os moradores, aproximou-se da localidade atirando sem motivo nenhum. Ruan tinha deficiência intelectual e era muito conhecido na região.

Segundo o jornal O Globo, A DPMJ ouviu os policiais envolvidos na ocorrência. Além disso, a Polícia Civil está investigando o caso por meio da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) que também ouviu os agentes e recolheu as armas para perícia. As investigações estão em andamento.

Posicionamento da família

Isabele Nascimento, irmã de Ruan, se pronunciou sobre a morte do irmão. “Eu quero justiça! Meu irmão não estava fazendo nada!”. Nesta terça (17), a família foi chamada para dar depoimento a respeito do caso. Renan Nascimento, também irmão de Ruan, disse a nossa equipe que nenhum suporte foi oferecido à família. “A única coisa que fizeram foi chamar a gente pra depor. Fora isso, nada!

Ruan até chegou a ser levado para o hospital Souza Aguiar, no Centro do Rio de Janeiro, mas não resistiu ao ferimento. O rapaz era muito conhecido na região e tinha o apelido de “monstrinho”. Apaixonado pelo Vasco, Ruan era mascote da torcida Força Jovem do time.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]