Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Em comemoração ao dia do Atleta Olímpico, Vila Olímpica da Maré promove evento para jovens

O evento reuniu alunos, atletas e moradores com oficinas
Os alunos de três escolas primárias tiveram contato com esportes olímpicos. (Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades)
Os alunos de três escolas primárias tiveram contato com esportes olímpicos. (Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades)

Na manhã desta sexta-feira (23), a Vila Olímpica Seu Amaro (VOSA), no conjunto de favelas da Maré, realizou o Festival Mundial do Desporto, em comemoração ao Dia Mundial dos Atletas Olímpicos, Paraolímpicos e Desporto olímpico.

O evento contou com a presença de dois atletas olímpicos: o nadador Guilherme Costa e a ginasta Flávia Saraiva. Além disso, foi promovido um encontro dos alunos da VOSA com três escolas municipais primarias da Maré: Erpidio Cabral de Souza (Indio da Maré ), Genival Pereira de Albuquerque e Osmar Paiva Camelo e as instituições Luta Pela Paz e Gol de Letra.

A programação contou também com apresentações dos projetos da Vila Olímpica, com dança, demonstração de karatê e ginástica; além de oficinas de ginástica artística e natação. Flávia Saraiva destacou que “as iniciativas sociais inserem as crianças nos esportes e mostram a elas outras possibilidades que podem seguir. Os projetos sociais tiram as crianças da rua e trazem elas pra perto do esporte. Dentro do esporte também é uma vida nova legal que você pode iniciar e mudar sua vida como a ginástica mudou a minha”.

Mães e alunos celebram o esporte

O evento lotou o ginásio da Vila Olímpica. O público era formado por muitas crianças acompanhados dos professores e algumas mães com os olhos brilhando. A moradora da Vila do João, Ana Angélica, conta que a vila olímpica abriu portas para sua filha, Clara Vitória, de 9 anos. “Ela é deficiente física faz natação e ballet na Vila Olímpica e aqui mostrou que é capaz e deu novos caminhos para ela seguir”. Por fim, Vitória completa. “Eu amo muito a Vila Olímpica, ela me traz muitas habilidades, conheço muitos amigos novos e tem muitos esportes pra eu fazer.”

A Vila Olímpica Seu Amaro promove a inclusão de pessoas com deficiência nos projetos esportivos. (Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades)

A moradora da Nova Holanda, Inácia Cordeiro, conta que frequenta a Vila Olímpica com o filho Yan Cordeiro desde o ano passado e que tem ajudado o filho no desenvolvimento. “Ele gosta de estar no projeto, é tudo que ele mais ama.”

Yan completa que também faz natação na Vila Olímpica. (Foto: Vilma Ribeiro /  Voz das Comunidades)
Yan completa que também faz natação na Vila Olímpica. (Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades)

Elaine Cardoso considera mágica a participação da filha no evento. Beatriz Cardoso, de 15 anos, fez uma apresentação que emocionou a plateia. “Pra gente tá sendo gratificante. Ela tá muito participativa e interessada. Ela também faz aula de natação aqui. Tá de parabéns a equipe e todo o projeto porque dentro da comunidade a gente é muito esquecido e, ainda sendo uma criança com deficiência, é muito mais difícil.” conta.

O trabalho reúne esporte, cidadania e educação na construção da inclusão
social e da igualdade de oportunidades. (Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades)
O trabalho reúne esporte, cidadania e educação na construção da inclusão social e da igualdade de oportunidades. (Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades)

Legado de Seu Amaro

Luciana Rocha diretora da União Esportiva da Vila Olímpica da Maré (UEVOM) relembra a preservação do trabalho de Seu Amaro, líder comunitário que idealizou o espaço esportivo. “A gente estar aqui é contribuir e reforçar o que ele nos passou”, conclui.

Três escolas da Maré estavam no evento. (Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades)
Três escolas da Maré estavam no evento. (Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades)

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]