Músicos chilenos escolhem o Vidigal como casa, após viajarem pela América Latina

Armonia e Angel são apaixonados pela música brasileira e têm planos de continuar na comunidade
Chilenos-Vidigal-1

Pai. Filha. Chile. Vidigal. Música. Natureza. Viagens. As palavras aqui listadas visam demonstrar o que compõe a vida de Angel e Armonia. Os músicos chilenos, após uma viagem pela América latina se estabeleceram no Brasil em 2014. Em 2017 se mudaram para o Vidigal,  no alto do morro, em meio ao verde e ao silêncio.

Angel, o pai, é apaixonado pela música. Deu o nome à filha de uma das características mais importantes de uma composição. A harmonia (com h, na língua portuguesa), é responsável pela sensação agradável quando se ouve uma canção. Armonia, menina de 13 anos, toca e compõe  desde os 4 e honra o nome que tem. Para ela, fazer música é como estar em um sonho. “Sabe quando você dorme?” O que vem pela cabeça? Sonhos! E é isso que eu sinto. Sinto que eu tô voando!”.

Pai e filha já viajaram a América Latina e estão no Brasil desde 2014
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

O músico afirma que o Vidigal é muito parecido com o Morro Alegre, local onde morou em Valparaíso, no Chile. Segundo Angel, ele escolheu viver na comunidade devido ao ar fresco e ao silêncio. “Aqui me dá paz, tranquilidade. Em alguns lugares eu fico claustrofóbico”. Já Armonia, filha completa a fala do pai. “ Eu não gosto do Vidigal, eu amo!”. 

Angel tem como mestres, nomes importantes da cultura brasileira. “Eu não sabia de nada, eu sempre viajava sem mapa. Mas eu estava na descoberta de Tom Jobim, Vinícius de mares, da Bossa Nova!

Aqui, eles encontram outras referências na música brasileira. Um deles foi Hermento Pascoal, um grande instrumentista brasileiro. Conheceram o compositor na praia, por acaso. A partir do encontro receberam conselhos do compositor relacionados à música. Armonia, ganhou uma escaleta, pequeno instrumento musical com teclas. 

Mas não para por aí! Abriram um show do Chico Buraque no Vidigal, em uma queda de energia na comunidade. Os músicos escalados para a abertura não queriam tocar. No entanto, para resolver a situação, pai e filha fizeram a abertura. “ A emoção foi tanta que eu desmaiei”, revela Armonia. 

Angel diz que quer comprar a casa onde mora atualmente no Vidigal e  fazer um projeto para os moradores. “Eu quero fazer uma escolinha, onde minha filha possa dar aula”. completa.

Com percental baixo, campanha quer atingir idosos que ainda não  se imunizaram contra a gripe; crianças também poderão receber a dose contra o sarampo
Armonia toca uma das músicas que compôs. 
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]