Moradores do Alemão ainda podem realizar testes de Covid-19 na Vila Olímpica Carlos Castilho

Ação da plataforma Dados do Bem, em parceria com a Cruz Vermelha e Voz das Comunidades, testará 5 mil pessoas
IMG_7887

As favelas do Rio de Janeiro já passaram de 5.800 casos confirmados de Covid-19. Entretanto, o número ainda é muito inferior da real situação que a pandemia causou entre os becos e vielas. A subnotificação dos casos e óbitos ainda é um fato no Brasil, principalmente nas favelas. Um dos motivos é que há dificuldade de acesso aos testes, então muitas pessoas que apresentam os sintomas da doença acabam não confirmando o diagnóstico. Para mudar esse cenário, o Voz das Comunidades firmou uma parceria com o Dados do Bem e a Cruz Vermelha para testar 5 mil moradores do Alemão até o final de setembro.

Os testes, que estão sendo realizados das 9h às 18h na Vila Olímpica Carlos Castilho, começaram no dia 9 de setembro. Para ser testado é necessário baixar o aplicativo Dados do Bem e responder um questionário para agendamento (veja o passo a passo aqui). Para Rene Silva, um dos responsáveis pela parceria, fazer essa testagem é importante para monitorar o avanço do coronavírus nas favelas cariocas.

Com esses dados a gente consegue ter uma noção do comportamento do vírus dentro da comunidade. Por exemplo, a gente vai saber se muitas pessoas já foram contaminadas ou não. Se a gente conseguir testar o maior número de pessoas, vai ter a possibilidade de saber quantas pessoas já estão com a imunidade alta e já criaram anticorpos. É uma forma da gente monitorar e entender o comportamento do vírus dentro da nossa comunidade, a partir da testagem. A gente não tem vontade disso e testar a população inteira, mas é uma amostra. E através dessa pesquisa, dessa amostra, a gente vai ter uma noção real de como está o vírus dentro do Complexo do Alemão“, afirma Rene.

Mais de 700 testes feitos

Segundo o portal G1, durante os primeiros dias de testagem foram realizados 703 testes pela parceria, com 183 resultados positivos, sendo apenas 16 pessoas infectadas no momento do exame. Moradora da região conhecida como Campo das Torres, Luciana Lima destacou a praticidade para conseguir ser testada.

Foi a primeira vez que eu fiz o teste. Não tive nenhuma dificuldade, foi super prático e rápido. Procurei por eu estar com alguns sintomas e fazer parte do grupo de risco. Optei por fazer o teste para me prevenir melhor e ter a certeza que eu não estava com Covid-19, porque tenho crianças e idosos em casa. Apesar de estar com sintomas, o meu teste deu negativo“, relata Luciana, de 29 anos.

Luciana Lima

 

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]