Quebrada desde janeiro, Escadaria do Adeus vai passar por vistoria

Além das péssimas condições estruturais, o esgoto que escorre pela lateral da escadaria também é um transtorno para quem vive no local
Escadaria do Morro do Adeus

Após as chuvas que atingiram a cidade no primeiro trimestre do ano, o acesso ao Adeus, pela escadaria, se tornou um perigo para crianças e principalmente idosos que dependem do corrimão para chegar ao topo do morro, que fica no Complexo do Alemão.

Com a estrutura quebrada, o corrimão não tem serventia. Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

“É complicado tanto para subir quanto para descer. Está tudo quebrado e quando a gente segura aqui o corrimão fica balançando e não dá para ter apoio. Infelizmente a gente tem que subir isso aqui confiando nas nossas pernas. E aí minha filha, é complicado até para ir na rua comprar as coisas. Isso já tem muito tempo que está abandonado”, conta dona Josélia, moradora do Adeus.

Além das péssimas condições estruturais, o esgoto que escorre pela lateral da escadaria também é um transtorno para quem vive no local, pois atrai insetos como ratos e baratas, junto do forte mal cheiro que invade as casas mais próximas.  

O esgoto escorre por toda a escadaria. Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

Em nota, a assessoria da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação informou que fará uma vistoria no local para verificar as intervenções necessárias e planejar o atendimento, mas até o momento não temos informações sobre a data da visita.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]