Falecimento de Marcelo Ramos, criador do R. R. Bistrô, completa 1 ano

Empreendedor inovou ao trazer um estabelecimento com atendimento que foge dos estereótipos da comunidade
(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

O R.R. Bistrô se destaca muito na comunidade Nova Brasília, não só pelo menu refinado com refeições deliciosas como também o tipo de atendimento e ambiente oferecido.

Marcelo e sua esposa, Gabriela Romualdo, desde 2012 eram os proprietários do Bistrô Estação R&R, que fica na localidade da Nova Brasília, Complexo do Alemão, Zona Norte Do Rio de Janeiro. Marcelo veio a óbito no dia 12 de junho, enquanto estava internado em estado grave devido complicações da Covid-19 aos 47 anos. Atualmente Gabriela cuida do espaço.

Foto: Selma Souza / Voz das Comunidades

Dono do primeiro bar de cervejas artesanais dentro de uma favela da Zona Norte do Rio de Janeiro, Marcelo foi homenageado pela Prefeitura. A rua do bistrô, antiga Travessa Jalisco, no Alemão, passou oficialmente a se chamar Travessa Marcelo Ramos Andrade em outubro de 2021. Uma placa que contém uma breve descrição a respeito da história de Marcelo foi instalada em frente ao empreendimento.

Marcelo trouxe uma inovação para dentro da comunidade ao iniciar um comércio que ia totalmente contrário dos estereótipos atribuídos a um bar em favelas. O empreendedor também fazia cervejas artesanais que eram servidas no espaço – sendo a primeira cerveja do Brasil totalmente produzida dentro de uma favela no Brasil. O sucesso do empreendedor era tanto que ele chegou a ter uma unidade dentro do Carioca Shopping na Vila da Penha.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]