Tiroteio assusta moradores da Maré e fecha Av Brasil na manhã desta quarta-feira (17)

Trabalhadores que passavam pelo local no momento dos disparos ficaram no meio do confronto
whatsapp-image-2020-06-17-at-08.47.40

Uma possível ação do Batalhão de Choque da Polícia Militar nas comunidades no Complexo da Maré, localizado às margens da Av. Brasil, acordou moradores no susto e deixou em desespero quem estava nas ruas no início da manhã de hoje (17). De acordo com o canal de mídia comunitária Maré Vive e relatos de moradores através das redes sociais, o tiroteio aconteceu na Nova Holanda e na Baixa do Sapateiro. Duas pessoas ficaram feridas.

Por volta das 8h da manhã, muitos trabalhadores que estavam passando pelo local no momento dos disparos ficaram no meio do confronto. Segundo a PM, o comboio que seguia em direção a Angra dos Reis para um reforço policial na região foi surpreendido com disparos ao passar em frente a comunidade. Para preservar o tráfego da Av Brasil, a PM diz que decidiu parar o trânsito por alguns minutos enquanto os policiais entravam pela comunidade. Uma senhora teve ferimentos leves e um homem ainda não identificado foi encaminhado para o  Hospital Federal de Bonsucesso.

Fotos: Reprodução/TV Globo

“Não tem baile, não tem nada. Não tinha uma justificativa para entrarem aqui atirando durante uma manhã de pandemia”, disse um morador que pediu para não ser identificado.

Lembrando que o STF proibiu operações policiais nas comunidades durante a pandemia porém, segundo o Coronel Mauro Fliess, porta-voz da PM, não era uma operação, “mas por conta da agressão foi necessário entrar na comunidade”.

Avenida Brasil fechada

Pistas sentido Zona Oeste foram totalmente bloqueadas

Ação social cancelada

Por conta do intenso tiroteio, a Frente de Mobilização da Maré, que realiza ações no combate ao coronavírus e dá assistência aos moradores em vulnerabilidade adiou a ação que estava programada para acontecer ás 9h de hoje. “As ações acontecem às 9h da manhã, mas estão suspensas por enquanto. Pode até voltar na parte da tarde, quando tudo amenizar, mas por enquanto, na parte da manhã, tá tudo suspenso mesmo”, conta o fotógrafo da Frente, Patrick Mendes.

Ver essa foto no Instagram

Continuamos nas ruas garantindo alimentação mínima e produtos de higiene para as famílias de alta vulnerabilidade do Maré. Nas imagens, doações que foram levadas à favela Salsa e Merengue, uma das 16 favelas que formam do Complexo da Maré. A situação de esgoto a céu aberto na localidade é precária e constantemente recebemos reclamações dos moradores. Sendo um dos problemas que mais assola as favelas do Rio de Janeiro, a falta de saneamento básico é um fator de risco chamariz de diversas doenças – inclusive o Covid-19. Acompanhe nossas redes e DOE! Saiba mais em: frentemare.com 📸: @commarinhoo #FrenteMare #CoronaNasFavelas #covid19nasfavelas

Uma publicação compartilhada por Frente de Mobilização da Mare (@frentemare) em

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]