Cantagalo Jiu-Jitsu oferece aulas de luta gratuitas para crianças

Foto: Christian Rodrigues/Voz Das Comunidades
Foto: Christian Rodrigues/Voz Das Comunidades

Projeto reinaugurado ano passado, sem incentivo financeiro, já atende 100 alunos

O Projeto Social Cantagalo Jiu-Jitsu, no complexo de favelas PPG (Pavão-Pavãozinho e Cantagalo), na zona sul do Rio de Janeiro, oferece aulas gratuitas de jiu-jitsu para crianças a partir de quatro anos de idade. Para os adultos, a partir de junho, a mensalidade será de R$ 50,00. Até maio era “0800” para todos, mas para arcar com a manutenção do espaço, que não tem nenhum incentivo financeiro nem público nem privado, a colocação da taxa foi a única saída.

O projeto foi idealizado pelos lutadores Sandrinho Vieira, o Bala, Douglas Rufino, o Trator e Adailton Vieira, o Chu. Inaugurado em setembro, foi uma reinvenção de projetos sociais de luta que já existiam antes, do qual os criadores também fizeram parte.

Inaugurado em setembro do ano passado, o projeto – que fica na localidade da Nova Brasília – só foi possível graças ao poder de articulação do trio. “Como nós temos influência com o pessoal do jiu-jitsu, fizemos contatos e cada um ajudou com alguma coisa. Como era época de eleição, tudo ficou mais fácil”.

Hoje, mesmo sem financiamento público ou privado, o projeto atende cerca de 100 alunos. Um deles é Natan Chueng, de 22 anos, que começou a treinar com os idealizadores do Cantagalo Jiu-Jitsu em 2009, e já coleciona a medalha de ouro de campeonatos como estadual, brasileiro e sulamericano.

Agora, a grande luta dele, por incrível que pareça, não é dentro do tatame. Natan está há três anos tentando tirar o visto americano para competir no mundial na Califórnia, nos Estados Unidos. Mesmo indo com a intenção de competir em nome do país, seu pedido é recusado pelo consulado americano.

Natan é nascido e criado no Cantagalo e reconhece que a disciplina dos treinos o deixou, felizmente, longe do caminho que levou a vida de outros amigos e vizinhos. “Esse projeto salva muitas vidas, com certeza”.

O espaço fica aberto de segunda a sexta, das 18h às 20h, para as crianças. Das 20h às 22h, as aulas são só para adultos. Os competidores, atletas de alto rendimento, treinam de 10h30 às 13h.

O Projeto Social Cantagalo Jiu-Jitsu se sustenta com a garra dos idealizadores, através dos patrocínios que recebem. No site apoia.se/projetocantagalojiujitsu, qualquer pessoa, com qualquer quantia, pode ajudar a iniciativa. A ideia do projeto é oferecer, além das aulas, lanches e pagamento de inscrição de campeonatos para as crianças. No Brasil, onde de 2002 a 2012 o número de homicídios de jovens negros aumentou 32,4%, de acordo com o Mapa da Violência, um projeto como esse luta não só por medalhas, mas sobretudo pela vida.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]