Durante confronto no Alemão, PM troca tiros sentado no sofá de morador

Registro foi feito por morador na comunidade da Alvorada
cropped-PM-NA-CASA-DE-MORADOR.jpg

Uma imagem que circula em grupos do aplicativo Whatsapp, mostra um PM de fuzil trocando tiros sentado no braço do sofá de uma casa no Complexo do Alemão, zona norte do Rio, durante a operação que acontece desde o início da manhã desta sexta (06) e conta com o apoio da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP). A casa fica na Alvorada e de acordo com moradores, outras residencias também foram invadidas.

Devido a operação que segundo a PM tem como missão coibir o tráfico de drogas na região, alunos ficaram impedidos de sair de casa para estudar e as escolas ao longo da Estrada do Itararé e Avenida Itaoca suspenderam as atividades. “As crianças já estão acordadas e prontas para escola. Tiroteio em várias partes. Vai ter aula? Vamos conseguir sair para escola? Só Deus sabe!”, comentou uma moradora nas redes sociais. “Primeiro ano que meu filho estuda pela manhã e veio uma suspensão por falta, mas como se manda um filho pra escola às 7:00 da manhã com o tiro comendo?”, questiona outra moradora.

Casas estão sendo invadidas e moradores denunciam que estão presos em cômodos com a família. “Estamos precisando de ajuda. Muitas casas sendo invadidas para serem usadas como base. A polícia arrombando e invadindo. E não venha me dizer “se fosse bandidos vcs não iam reclamar” A polícia não é bandido se diz a lei”, alerta Renata Trajano, moradora do Alemão e ativista no Coletivo Papo Reto.


Escolas sem aulas

O Colégio CAIC Théophilo usou o Twitter para informar aos alunos que não haverá aula hoje por conta do intenso tiroteio e pedem que as pessoas não saiam de casa e evitem se arriscar na rua. Devido ao perigo, as faltas serão justificadas no conselho de classe.


Veja mais

O caveirão branco da CPP ainda circula pelo Alemão e foi visto nas ruas da Canitar. Foto: Renato Moura/ Voz das Comunidades
Policias encapuzados seguem a pé pela rua Joaquim de Queiroz, principal via da Grota. Foto: Renato Moura/ Voz das Comunidades
“Essa bala parou aqui do lado da minha cama”, disse um morador do Condomínio Residencial Avenida, na Itaóca. Foto: Enviada por morador
Registro foi feito por morador na comunidade da Alvorada. Foto: Reprodução da internet

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]