Crianças de 5 a 11 anos poderão se vacinar contra Covid-19; confira o calendário

Vacinação começa dia 17 de janeiro e o imunizante aplicado vai ser o da Pfizer, único permitido pela Anvisa
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A imunização de crianças de 5 a 11 anos contra o Covid-19 já tem data marcada. A Prefeitura do Rio divulgou, nesta quinta-feira (6), o calendário de vacinação, que vai do dia 17 de janeiro até 9 de fevereiro. Após resistência, o Ministério da Saúde aprovou, ontem (5), a imunização infantil.

As primeiras doses da vacina devem chegar ao Brasil dia 13 de janeiro, de acordo com o governo federal. Não haverá exigência de receituário médico, como tinha sido cogitado antes por membros do governo.

Aplicação da Pfizer

Seguindo as recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a prefeitura informou que as crianças serão imunizadas com a Pfizer, a única recomendada para esta faixa-etária. Está prevista uma remessa de 1,2 milhão de doses do imunizante para o país.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde do Rio, o plano é vacinar, de forma escalonada, 560 mil crianças. “Para o cálculo do número de doses necessárias, devemos considerar a primeira e segunda dose, mais a reserva técnica de 10%. Para que o planejamento seja cumprido, o Município conta com a distribuição das doses pelo Ministério da Saúde, conforme programação de entrega das vacinas pela fabricante, a Pfizer”, ressaltou.

Confira, abaixo, o calendário:

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]