OPINIÃO | Tempos difíceis e uma luz no fim do túnel

Ultimamente eu tenho me recusado a assistir telejornais por não aguentar ver tantas notícias ruins, especialmente relacionadas ao Rio de Janeiro. E esse sentimento não é novidade. Há tempos eu tenho a sensação que nosso cotidiano está cada vez mais difícil. Foi aí que eu me perguntei se é só impressão ou se existe, de fato, uma serie de eventos negativos acontecendo um atrás do outro nesses últimos anos. Foi então que resolvi fazer uma breve pesquisa sobre as retrospectivas dos últimos 5 anos.

Nesse artigo eu vou relembrar os momentos mais marcantes dos últimos anos para verificar o porque de estarmos tão cansados. Então vamos lá:

No ano de 2013 eu cursava Gestão Pública pela UFRJ quando as grandes manifestações estouraram. Tudo começou com o aumento das passagens e logo depois foram incorporadas varias pautas da sociedade civil em relação ao descontentamento com nossos governos. Em 2014 tivemos a copa do mundo, que foi um misto de emoção, entretenimento e escândalos de desvios de dinheiro público nas obras dos estádios – ao mesmo tempo que fizemos bonito, nossos governantes fizeram muito feio. E é claro… para consagrar ainda tivemos o 7 x 1. Em 2015 tivemos a morte do menino Eduardo do Complexo do Alemão – morto pela PM na porta de casa. Ainda ficamos chocados com tamanha tragédia e desrespeito com a natureza com o rompimento da barragem de Fundão em Mariana – MG, que matou mais de 15 pessoas, acabou com o Rio Doce e até hoje ainda não vimos os responsáveis punidos e, nem tampouco, uma ação de revitalização e recuperação da área.

2016 então… Que ano complicado. Tivemos o avanço do Zika vírus e suas consequências, a tragédia da chape e o ápice da crise política e econômica do pais: Taxa de desemprego aumentando cada vez mais, grandes manifestações nas ruas, Impeachment de Dilma Rousseff, posse de Michel Temer e início de algumas reformas (como a PEC do Teto Gasto Público), Lula se torna réu na Lava-Jato, Eduardo Cunha, Sergio Cabral e diversos outros políticos e empresários foram presos. Tivemos também a delação da Oderbrecht, o estouro da grave crise fiscal de alguns estados, ocupação nas escolas públicas e desabamento da ciclovia no RJ. Também tivemos as olimpíadas que foi linda por sinal – nisso o Rio ficou de parabéns, saiu bem na foto.

Em 2017 tivemos uma avalanche de escândalos no cenário político do país (a vergonha continuou em tudo que é lugar) e até Temer sofreu uma série de denúncias – que resultou em NADA. Dória saiu apagando tudo que é grafite nos muros de SP, Eike foi preso, Dona Marisa (mulher de Lula) faleceu e tivemos o escândalo da carne podre. Vimos o abandono dos equipamentos olímpicos (cadê o legado?), a queda do projeto da UPP – que já estava falindo há muito tempo – e grande aumento da violência no Rio de Janeiro. 2018 chegou, o caos continuou e já tivemos um fato inédito: A intervenção militar no RJ. Essa semana vimos o exército fichando moradores numa clara violação de direitos fundamentais. De fato, está muito desanimador ver tudo isso.

Com certeza esqueci algum fato marcante ou outro. Porém, a ideia é demostrar que tem um tempinho que está tudo uma bagunça e os últimos anos foram bem complicados e desanimadores. Tenho apenas 24 anos e nunca imaginei que fosse passar pela metade do que presenciamos, ainda mais se considerarmos que o Brasil estava demostrando bons desempenhos econômicos e sociais em escala global.

Ao realizar essa busca, ficou claro que grande parte desses fatos são relacionados ao nosso contexto político e a má administração da coisa pública. Essa avalanche de noticias ruins tem em sua raiz um estado falido, onde nossos representantes usam o seu poder para benefício próprio e, por consequência, deixam de desenvolver a atuação governamental para aprimorar os vários serviços prestados ao povo. Porém, o lado bom é que nunca tivemos um debate tão aprofundado sobre politica e atuação de nossos políticos. Ficou claro que deixar no poder aqueles representantes que não se comprometem em realizar uma gestão ética e democrática está destruindo nosso pais.

Cabe ressaltar que há pessoas que estão super interessadas em fazer um trabalho que faça a diferença. Mesmo com todas essas notícias e sentimento de revolta não podemos cair no erro de generalizar completamente para o lado ruim. Em minha trajetória no governo do estado do RJ, por exemplo, conheci diversos gestores que suavam a camisa diariamente para fazer um trabalho sério e de impacto.

Estamos carentes da figura daquele herói nacional que contenha as virtudes de ética, moral e carisma que todos admiram e querem ver. A notícia ruim é que não existirá o herói que virá em seu cavalo alado, com o seu sorriso perfeito, cortando todos corruptos com sua espada da justiça e vestindo óculos thug life. A notícia boa é que o herói da pátria não é tão difícil de encontrar. Ele está mais perto do que você possa imaginar. Esse herói é VOCÊ! Só você pode decidir sobre o seu engajamento com a coisa pública. Só você pode decidir se irá votar consciente. Só você sabe a sua dificuldade e poderá cobrar as suas demandas para nossos representantes.

Acredito que só iremos começar a ver alguma melhoria quando cada um fazer o seu papel de cidadão e parar de rejeitar a política, seja lá por qual for o motivo, para começar a se mexer para lutar por alguma mudança. Essa é a luz no fim do túnel. Esse ano teremos eleições de Deputados e Governadores. Torço para que a gente faça bonito dessa vez.

Estamos vivendo um momento em que diversos movimentos sociais estão surgindo com o objetivo de mudar e renovar a nossa política. Existe uma galera mega engajada, com um ótimo conteúdo e visão de Brasil, que está tomando corpo agora, e precisa da ajuda de todos para ganharem cada vez mais força. Dentre esses movimentos temos alguns bons exemplos como: o Agora, o Acredito, a Bancada Ativista, o Quero Prévias, o Transparência Partidária, o Brasil 21, o Construção, o RenovaBR e muitos outros. Vale pesquisar sobre cada um deles. Busque sobre eles nas redes sociais e participe.

Em um Brasil cheio de vilões, vamos desenvolver nosso superpoder de cidadão pleno e engajado. Busque novos candidatos e avalie o trabalho daqueles que já exerceram algum mandato. No momento eleitoral prezem sempre pelo respeito de opiniões e democracia. Existimos em uma sociedade diversa e é natural que exista vários posicionamentos e ideologias em relação a maneira como o país deve funcionar. Em 2018 não deixe de fazer a sua parte e reflita de verdade sobre tudo o que os candidatos irão falar, suas maneiras de agir e histórico de realizações. Reafirmo que você é o seu próprio herói e ninguém mais será. Assim como Martin Luther King dizia: “O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons”.

Comentários Facebook

comentários

*

* Please arrange the below number in decreasing order

Top