Centro de assistência social encaminha jovens e adultos para empregos e cursos de capacitação

O CRAS promove inclusão social de indivíduos ou famílias em situação de vulnerabilidade

Atingindo os territórios do Complexo do Alemão, parte do Complexo de Manguinhos e dos bairros de Ramos, Olaria e Bonsucesso, o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) faz ações para promover a inclusão social de todos que estão em situação de instabilidade financeira ou social. Os atendimentos acontecem diariamente, de segunda a sexta-feira, na Avenida Central, na Estação do Teleférico do Alemão. Os atendidos recebem orientações e encaminhamentos para instituições ou projetos sociais. Quando necessário, as visitas técnicas são realizadas em casa.

Moradores de todas as idades podem fazer o Cadastro Único, que viabiliza benefícios como o programa bolsa família, autonomia de donas de casa, cartão família, tarifa social de energia elétrica, isenção de taxa de concurso público, banco carioca de bolsas de estudos e passe interestadual do idoso. Além disso, o serviço de Inclusão Produtiva oferta vagas de emprego e cursos de capacitação. Essa é uma forma do usuário resgatar a autonomia e se reinserir na sociedade.

O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, do CRAS de Ramos, realiza atividades em grupos com crianças, adolescentes e idosos. Crianças de 6 a 14 anos são incluídas no PETI (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil), que tem o objetivo de trazer reconhecimento como cidadão, com atividades lúdicas, passeios educativos e oficinas. As atividades acontecem quatro vezes por semana, com a supervisão de um profissional capacitado.

Para os jovens de 15 a 17 anos também são oferecidas atividades que os estimulam a sair da vida ociosa. Realizadas três vezes por semana, são oficinas socioeducativas e passeios culturais. Tudo isso os leva a reconhecer seu próprio potencial, além de servir como educação comportamental e possibilitar a inserção em cursos profissionalizantes e no programa primeiro emprego.

Com o objetivo de resgatar a autoestima dos idosos, o CRAS oferece quatro vezes por semana, no turno da manhã, atividades como dinâmicas de grupo, confecção de objetos variados, passeios culturais e ginástica para a terceira idade.

A diretora Fátima Bonfim de Alencar explica que o propósito das oficinas de serviço e convivência é fazer o indivíduo, em especial o jovem, adquirir um olhar crítico. “Queremos aumentar a possibilidade para que tenham empoderamento e conheçam também outras culturas e linguagens. As oficinas estimulam o pensamento crítico”, conta Fátima, que trabalha no CRAS de Ramos há 4 anos.

Fátima Bonfim exibe a fachada do Centro de Referência de Assistência Social, na Estação Alemão – Foto: Renato Moura/VozDasComunidades

“Com os jovens vão surgindo situações que acabam levando ao atendimento da família. Após percebermos essas questões críticas e particulares, conseguimos entender a necessidade dos pais. Isso nos leva ao programa carro-chefe do CRAS, o PAIF (Programa de Atendimento Integral à Família)”. A diretora relatou que, no início deste ano, havia 1.200 famílias inseridas no programa. Algumas já atingiram seus propósitos e alcançaram a porta de saída. Neste mês de dezembro, 900 famílias continuam buscando esse mesmo caminho. “Em 2016 várias pessoas do PAIF conseguiram bolsas integrais em faculdades e colégios particulares. Conforme vão conhecendo o CRAS, passam a confiar mais em nossa equipe”. E por falar na equipe, vale dizer que ela é composta por quatro assistentes sociais, cinco educadores, uma psicóloga, uma pedagoga e dois funcionários de serviços gerais.

Para receber um primeiro atendimento, basta ir até a unidade com os documentos originais de todas as pessoas que residem na casa: Identidade, CPF, Título de Eleitor, Carteira de Trabalho, Contracheque (se tiver), Comprovante de Residência ou declaração da associação de moradores (referente ao nome de um dos moradores) e Extrato de Benefício (caso seja aposentado). Menores de 18 anos: Certidão de Nascimento e Declaração Escolar (recente).

Nessa primeira etapa, a assistente social faz um atendimento individual e já encaminha para a rede de serviços, como saúde, educação e cultura. “Às vezes, as pessoas pensam que o CRAS é apenas para Bolsa Família, mas esse cadastro dá direito a muitas outras oportunidades”, acrescenta a diretora.

Comentários Facebook

comentários

Autor

*

* Please arrange the below number in decreasing order

Top