Creche no Alemão realiza Arraial Literário para crianças

A Recreação Infantil Estrelinha uniu a tradicional festa junina com a cultura literária dos cordéis

Foto: Reprodução

Na manhã deste sábado (17) a instituição Recreação Infantil Estrelinha, que funciona na localidade da Área 5, no Complexo do Alemão Zona Norte do Rio, organizou um arraial diferente para seus alunos e chamou de: “arraiá literário”. A iniciativa buscou mostrar para as crianças o lado mais tradicional das típicas festas juninas através do Cordel.

O mês de Julho no calendário brasileiro é a certeza de uma coisa: as festas de São João. Essa tradição, que passa de geração em geração, é de origem da região nordeste, e se expandiu para todo o restante do país. A creche então quis relembrar esses costumes para os mais novos. Com isso, veio a ideia de promover o arraial literário, um momento para resgatar a regionalidade do nordeste, porque muitas famílias de favela tem origem lá, com distribuição de cordéis, danças, comidas e músicas típicas, recitação de versos de cordéis e apresentação de teatro.

Cordel nordestino como temática

Representante da creche, Carolina Marinho explicou a escolha do Cordel como temática da festa. “Muita das vezes o cordel é apagado, o registro da oralidade é apagado das aulas, e apresentar este conteúdo de forma lúdica, de um jeito que as crianças pudessem brincar e se apropriar de uma cultura que é nossa”. A escola infantil há 32 anos vem trabalhando com a educação infantil no trabalho de estímulo à socialização, alfabetização e incentivo à leitura na primeira infância. Costuma promover ações que tem como objetivo aumentar o contato com o universo literário.

O arraial contou com a presença do escritor do Complexo do Alemão, Otávio Júnior, que falou sobre a importância de da realização desse evento. “É importante apresentar para as crianças múltiplas linguagens culturais. E o cordel tem uma diversidade por fazer uma junção da palavra escrita com a tradição oral, e nas favelas de certa forma interagimos muito com a oralidade por conta da música. O cordel também tem essa função de estimular outros ritmos através da rima”. Otávio ressalta também a importância deste contato para que desperte nas crianças novas inspirações criativas de uma maneira simples. 

Otávio Junior (cinza) é intitulado como “Livreiro do Alemão e Edmilson Santini é bastante conhecido no Brasil por seus trabalhos de valorização da cultura dos cordéis nordestinos.
Foto: Reprodução

Encontro e resgate da cultura nordestina

Outro convidado muito especial foi o escritor e ator Edmilson Santini. Ele apresentou para as crianças o que é o Cordel. O gênero literário é estruturado em versos e que são publicados geralmente em folhetos pequenos com capas de xilogravura que ficam pendurados em barbantes ou cordas. Daí surgiu o nome. Tem como característica principal as marcas da oralidade, usada para informar e promover o entretenimento.  

“O cordel, como poesia brasileira, dialoga com outras linguagens e temos um trabalho que alcança todas as idades. É muito importante desde cedo levar este incentivo brincando, levando rimas, como fiz aqui, dentro da estrutura do cordel. Mais importante ainda é estar acontecendo isso dentro das comunidades e dentro das escolas”, comentou Edmilson Santini. O artista é uma das referências no trabalho educacional através do ensino do cordel, com rimas e apresentação teatral.

Atualmente, a instituição atende 150 crianças de 0 a 8 anos em situação de vulnerabilidade social. Para contribuir com a Recreação Infantil, entre em contato pelo e-mail [email protected] ou através do instagram.