Jovem negro denuncia racismo sofrido no Guanabara de Inhaúma

Caso aconteceu neste sábado (11) e envolveu segurança da empresa
caso guanabara meninos

Mais um episódio de descriminação racial aconteceu no Rio de Janeiro. Na noite do último sábado (11), por volta das 18h, quatro amigos foram ao Supermercado Guanabara de Inhaúma para comprar carne. Chegando lá, dois deles foram retirar dinheiro no Caixa 24h. Foi então que apenas Ricardo Aguiar, um jovem negro de 24 anos, foi abordado pelo segurança.

Éramos dois negros e dois brancos. Eu saí conversando ao lado do outro menino branco e o segurança simplesmente ignorou ele e parou na minha frente, já olhando na minha pochete como se tivesse furtado algo. Colou em mim como se tivesse certeza que estava com algo escondido. Doeu na alma ver a situação de todos olhando para as nossas caras achando que tínhamos pegado. O segurança perguntou mais de uma vez onde eu tinha colocado ou escondido“, relata Ricardo, que mora na Praça dos Mineiros, Inhaúma.

Voz em verso #01: Fora de série – Poeta Rennan Leta

Que Humilhação, que sensação horrivel…. Agora um cara negro não pode mais sair do Mercado sem ter Furtado um Misero…

Posted by Ricardo Aguiar on Saturday, July 11, 2020

Procurada, a assessoria do Guanabara disse que “a rede informa que está apurando os fatos e de antemão, pede desculpas pelo ocorrido.  A empresa esclarece que tomará as medidas cabíveis ao caso em questão, pois a rede não compactua com a forma comportamental descrita de racismo ou de qualquer outro tipo de discriminação“.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]