Operações no Alemão terminam com sete baleados

Entre os baleados estão dois policiais e uma senhora de idade, além de três pessoas mortas.

whatsapp-image-2016-09-17-at-19-33-12

Três dias de intenso tiroteio no Alemão resultaram em sete pessoas baleadas. Entre os atingidos, dois PMs, um jovem de 14 anos, uma senhora de idade e outros três jovens foram mortos. As trocas de tiros simultaneamente em diversas partes do Alemão causaram pânico nos moradores e comerciantes da região que tiveram que se abrigar e fechar suas lojas por conta dos disparos. Os confrontos começaram logo pela manhã da última quinta feira (15), quando dois jovens foram baleados e mortos durante troca de tiros no interior da comunidade da Grota, parte de entrada do Alemão. Renan Alves de Almeida, de 19 anos e Luan Martins, também de 19, foram baleados e mortos após a troca de tiros. Ambos chegaram a ser socorrido para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiram aos ferimentos. Ao anoitecer, mais uma troca de tiros deu inicio. Pelo Whatsapp do Jornal Voz da Comunidade, moradores da Alvorada, parte alta do Alemão, mandaram áudios das sequencias dos disparos feitos. Em um dos áudios enviados, moradores gritavam por socorro, informando que os disparos vinham do Largo do Coqueiro. O largo é o ponto onde existe uma base de Policia Pacificadora (UPP-Nova Brasília) e uma delegacia de Policia (45ªDP), além de uma estação do teleférico. Segundo informações, a estação onde funciona uma delegacia, foi atacada. Marcas de tiros ficaram cravadas nas paredes do teleférico e da delegacia. Além de bares, lojas e casas que são vizinhas à base e à delegacia.

whatsapp-image-2016-09-15-at-23-38-56Em questão de minutos, um reforço policial chegou na região. Homens da Corregedoria de Recursos Especiais (CORE), a tropa de elite da Polícia Civil, junto com dois veículos blindados, deram apoio na operação noturna. Neste tiroteio, dois policiais militares foram baleados e um ficou ferido. O soldado Rodrigo Feitosa da Silva foi atingido na cabeça de raspão, e o também soldado Rafael de Lila, ferido numa das mãos. Um outro PM que estava no local, Rhudson de Oliveira, torceu o pé ao se proteger, mas não foi baleado. Ambos foram socorridos para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha. Com isso, o Alemão finalizava a noite sob tensão, estampada nos rostos dos moradores que retornavam para suas residências na mesma noite.

Motoristas de ônibus que circulavam pelo Alemão chegaram a evitar passar pelos pontos da comunidade, com medo de serem atingidos. Muitos moradores que retornavam para suas casas tiveram que aguardar por alguns instantes os tiroteios cessarem no interior da comunidade. A equipe do Jornal Voz da Comunidade acompanhou durante quatro horas o momento de tensão vivido pelos moradores do Alemão. Em entrevista ao vivo pelo Facebook do Jornal, uma moradora, que preferiu não se identificar, contou para os mais de 40 mil espectadores o que passava no momento. “Estou há duas horas esperando os tiros pararem para eu ir para casa. Chego do trabalho cansada e a sensação de insegurança é muito grande. É sair sem saber se volta viva para nosso lar”, contou à nossa equipe.

DIA SEGUINTE…

No dia seguinte, logo pelo amanhecer, os moradores despertavam com as sequências de tiros, som cotidiano de quem vive na região. Em uma troca de tiros rápida, um jovem foi baleado e encaminhado ao pronto socorro. O tiroteio foi tão rápido que pegou de surpresa todos os moradores e motoristas que passavam pela Estrada do Itararé, principal via de acesso ao Alemão. Conhecido como Luciano, o jovem de 14 anos foi atingido por um tiro na perna e socorrido para o UPA pelos militares. Ainda não sabemos o seu estado de saúde.

whatsapp-image-2016-09-17-at-19-33-10-2

Imagens do fotojornalista Bento Fabio, registram o momento em que homens do BOPE circulam pelas Estrada do Itararé, após o confronto no interior da comunidade. (Foto: Bento Fabio / Voz da Comunidade)

No mesmo dia, homens do BOPE faziam operações simultâneas nas favelas do Alemão. Sem hora para sair, os militares ficaram dentro da comunidade o dia e a noite inteira, sob intensa troca de tiros.  Lojas, comércios foram fechados e o Alemão tinha mais uma noite tensa. Pela manhã deste sábado (17) mais uma troca de tiros se iniciava na comunidade. Desta vez na Rua Dois, um dos lugares mais tensos e com maiores índices de tiroteios do Alemão. Na troca de tiros, uma senhora (ainda não identificada) foi atingida por um tiro na perna e socorrida pelos moradores, em seus veículos particulares, para o HGV, Penha. Em seguida, mais informações de baleados e mortos surgiram pelas redes sociais. Segundo informações de moradores, Davidson, como era chamado, foi baleado e morto na comunidade da Alvorada, parte alta do Alemão. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu no local. A remoção do corpo de Davi demorou cerca de 5 horas. Com este, somam-se sete pessoas baleadas em conflitos no Conjunto de Favelas do Alemão, entre policiais, traficantes e moradores.

#GuerranoAlemão

Comentários Facebook

comentários

*

* Please arrange the below number in decreasing order

Top