Dançarino Peterson Sidy cria coreografia da música “Apaga luz, Apaga tudo” e bomba nas redes

O morador da Favela da Galinha é o influencer do momento e com sua dança já alcançou famosos, como Marília Mendonça, Mc Rebeca e até o jogador Neymar
IMG_2092

Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Com apenas 22 anos, Peterson Sidy é o influencer estourado nas redes. Nascido na favela da galinha, Zona Norte do Rio de Janeiro, o dançarino bateu a marca de 5, 3 milhões de curtidas na rede do TikTok.

Peterson já era muito conhecido com os vídeos que ele fazia sempre implicando com sua mãe. Mas o da música “Apaga Luz, Apaga Tudo Challenge”, com MC Topre, DJ TN Beat, DJ TS e DJ Duarte (KondZilla), foi o que alavancou sua carreira nas redes sociais, contagiando a todos, inclusive famosos do mundo inteiro.

“Minha mãe sempre foi muito rígida. Ela bate mesmo, xinga mesmo, não tem nada combinado. Eu que invento as brincadeiras e a reação dela é real. O tapa doí, mas eu só tenho agradecer a ela, que me apoia. A minha tia também embarca na brincadeira”, diz o artista.

Peterson e a sua mãe, dona Carla, simulando o vídeo que foi o mais acessado
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

“Minha mãe não gosta que mexam no pano de prato dela. Ela diz que tem que limpar com pano de limpeza, mas eu quis provocar. Limpei a estante com o pano de prato branquinho. Na hora, minha tia gritou, meu primo já estava no esquema, mas eu não imaginava que o soco viria de mão fechada. Essa doeu”, brincou o rapaz com seu segundo vídeo que bateu a marca de 8 milhões de visualizações.

Para quem pensa que tudo veio de um dia para noite na vida do rapaz, engana-se. Peterson sempre foi envolvido com a dança e seus irmãos também são dançarinos. Acabaram o influenciando desde pequeno. Começou com 9 anos no passinho, duelando nos bailes. “Eu aprendi as danças nos bailes, sempre fugia de casa para dançar”. A cada dia ele vai se reinventando, seja na dança, nos vídeos, na música, atuando. A arte move a vida do artista.

Peterson grava os vídeos no seu quarto, em frente a janela.
Foto: Vilma Ribeiro/ Voz das Comunidades

A coreografia do momento

Segundo o artista, é por meio dos seus vídeos que ele tira seu sustento, por conta de parcerias e publicidades que faz. Foi pelas redes que conquistou marcas importantes e visibilidade na mídia.

O que rapaz não imaginava era o sucesso que sua coreografia faria entre as pessoas, principalmente os famosos. “Eu nem acreditei, foi muito bom ver essa galera que eu admiro tanto fazendo a coreografia do apague a luz. Crianças, jovens e idosos fazendo a dança. Isso é gratificante demais. Levar alegria para a vida das pessoas”. Inclusive, o jogador de futebol, Neymar, (craque do Paris Saint-Germain) fez a famosa coreografia.

O jovem também deixou claro que nada seria possível sem ajuda das pessoas envolvidas, como: sua mãe, sua tia, seu parceiro de coreografia, seu amigo e assessor, Carlos, que tem gerenciado sua carreira.

Por fim, fala sobre seus planos para o futuro. “Eu não quero ser rico, eu quero investir cada vez mais na minha carreira de cantor e poder chegar um dia dar conforto à minha mãe, meu pai e meus irmãos”, comentou ele.

Peterson, um dia antes de ser entrevistado, foi assaltado na porta da barbearia e levaram seu instrumento de trabalho, o celular, que ainda faltam 9 prestações para pagar. Mas, o rapaz garante que vai trabalhar mais e não vai desanimar. Em breve estará com um aparelho novo.

Mas, disse, com exclusividade, que está no forno a sua mais nova música de trabalho, com composição feita por ele. Em breve todos vão poder ouvir e curtir.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]