Manhã de tiroteio no Complexo da Penha deixa baleados

De acordo com PM, uma base da UPP foi atacada. Questionamos os estragos, mas não informaram

Manhã de tiroteio no Complexo da Penha deixa baleados

Manhã desta sexta-feira (11), começou com intenso tiroteio na Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, zona norte do Rio de Janeiro. O clima é de tensão na comunidade.

De acordo com a direção do Hospital Estadual Getúlio Vargas (HEGV), até o momento, seis pacientes deram entrada na unidade devido ao tiroteio na Vila Cruzeiro: três jovens adultos negros, não identificados, chegaram na unidade em óbito; um policial militar, que foi baleado na coxa e teve ferimentos por estilhaços na panturrilha, e tem quadro clínico estável; e outros duas pessoas baleadas na perna, que também têm quadro clínico estável.

A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar, confirmou o confronto na região. A Polícia Militar alegou que a base da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Merendiba foi atacada. Questionamos sobre os possíveis estragos causados na base devido ao ataque, mas não fomos informados.

Segundo dados da plataforma Fogo Cruzado, no mês de agosto, dos 296 registros de tiroteio, 63 deles constam participação das unidades de segurança pública. Houve 55 registros de tiroteios/disparos de arma de fogo em áreas com UPP e o Complexo da Penha é o primeiro do ranking, com 14 registros.