Mulheres empreendedoras fazem exposição de serviços e produtos de beleza no Alemão

O evento aconteceu no Mirante do Complexo Alemão, que fica localizado na subida da Alvorada. Os moradores da região puderam comprar produtos e adquirir serviços com até 50% de desconto

Mulheres empreendedoras fazem exposição de serviços e produtos de beleza no Alemão

Com o objetivo de mostrar para os moradores as tendências do mercado de moda, beleza e estética e fazer com que a economia gire dentro da favela nesse período de festas, empreendedoras do Complexo do Alemão realizaram no último sábado (19), uma exposição de produtos e serviços com preços acessíveis.

A lojista Gleice Soares já se planeja para 2021, que mais mulheres possam participar do evento. Foto: Reprodução

O evento aconteceu no Mirante do Complexo Alemão, que fica localizado na subida da Alvorada. Os moradores puderam comprar produtos e adquirir serviços com até 50% de desconto. Tinha depilação, aplicação de cílios, colocação de piercing, design de sobrancelhas, limpeza de pele, tatuagem, manicure, venda de roupas, bolsas, acessórios e cosméticos em geral.

Produtos de beleza, cosméticos, roupas entre outros, tudo com preço acessível. Foto: Reprodução

“O morador não precisa sair da favela para comprar coisas boas ou fazer um serviço de qualidade, aqui temos produtos de marcas com os melhores preços, tinha bolsa que custava 100 reais e no dia da exposição estava por 50 reais. É o morador investindo no empreendedor, fazendo com o que o comércio de dentro da favela cresça”, relata Gilmara de Azevedo, esteticista.

Além de produtos, eram oferecidos serviços de tatuagens, percing, colocação de cílios, e designer de sobrancelhas. Foto: Reprodução

Segundo a lojista Gleice Soares, o evento reforçou a união das empreendedoras e elas já estão pensando para o início de 2021 fazer a segunda edição da exposição que ao longo do ano será mensal. “A ideia é que mais mulheres participem e que nós possamos nos estruturar cada vez mais, e que os moradores tenham mais opções de compra dentro da favela”.