Aulas do ProJovem têm início, mas inscrições permanecem abertas

projovem

Assessoria

A coordenação local do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (ProJovem) atingiu mais de 1.800 alunos matriculados para as atividades do programa. As aulas começam hoje (23), mas os interessados ainda têm mais 15 dias para se matricular. Quem garante é a coordenadora do ProJovem junto à Secretaria Municipal de Educação (Semed), Solange Gouveia.

Cabe à Semed a gestão local do programa. De acordo com Solange, foram efetivamente matriculados mais de 1.800 estudantes. “Além disso, cerca de 200 jovens aguardam a abertura de novas vagas para integrar o ProJovem”, declara. Para explicar melhor, ela usa como exemplo uma escola que ofertou 120 vagas, mas registrou demanda de aproximadamente 180 alunos.

Em casos como o descrito, os interessados ficam numa espécie de fila de espera para a efetivação da matrícula. No entanto, há casos em escolas que ainda têm vagas, daí a necessidade de se manter aberto o prazo para a inscrição por mais 15 dias. As aulas do ProJovem acontecem em 16 unidades de ensino da capital.

O programa tem o objetivo de elevar a escolaridade de jovens com idade entre 18 e 29 anos, que saibam ler e escrever e não tenham concluído o Ensino Fundamental. Com isso, o ProJovem visa à conclusão desta etapa por meio da modalidade de Educação de Jovens e Adultos integrada à qualificação profissional e o desenvolvimento de ações comunitárias com exercício da cidadania.

Com duração de 18 meses, o curso oferece a conclusão do Ensino Fundamental, treinamento em informática, formação profissional inicial e atividades de participação cidadã. Aos jovens que cumprem determinados requisitos de frequência e elaboração de trabalhos é concedido um benefício mensal de R$ 100, depositado pelo governo federal, diretamente na conta do estudante.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]